Há alguns anos, as redes sociais influenciam de maneira determinante na política. As campanhas digitais, em um contexto de distanciamento social, ganham ainda mais força e relevância: e isso não será diferente nas eleições presidenciais dos Estados Unidos em novembro. Em parceria inédita, a Amcham Brasil e Bites se juntam para olhar e conversar sobre a corrida eleitoral do ponto de vista digital.

Nesta página, você encontrará os principais dados de performance dos candidatos Donald Trump e Joe Biden nas redes em diferentes períodos de junho até novembro. Falamos em tração (capacidade de um agente digital movimentar as redes sociais), menções (quantidade de vezes que uma pessoa é citada por outras na internet), total de seguidores nas páginas oficiais, publicações com maior engajamento de cada candidato, palavras mais citadas relacionadas a cada um e uma análise exclusiva sobre essa disputa.


PERÍODO DE 20/10 a 26/10

tração nas redes sociais

30%
70%

COMO ESSE NÚMERO É CALCULADO?


Tração é um algoritmo que mede a capacidade de um agente digital gerar, dentro do seu universo de seguidores ou em um conjunto de outros agentes, movimentos de engajamento com os conteúdos. Esse movimento é traduzido em likes, shares, comentários e retuítes. Significa que, quanto mais chamar atenção para seus posts dos seus aliados, maior será a tração de um agente.

Perfil dos candidatos

Advogado e político norte-americano. Foi o vice-presidente dos Estados Unidos de 2009 a 2017 e exerceu seis mandatos consecutivos como senador pelo Delaware.

 

Empresário e político americano. É atualmente presidente dos Estados Unidos, eleito em 2016, e está concorrendo ao seu segundo mandato como chefe do Executivo.

Performance no período

 

Menções no período 

43,2M
0,6% em relação ao período anterior

Total de seguidores

20,7M
3,4% em relação ao período anterior

Performance no período

 

Menções no período

59,9M
2% em relação ao período anterior

Total de seguidores

142,4M
0,38% em relação ao período anterior

Publicação com maior engajamento

biden-sem5.png

Publicação com maior engajamento

trump-sem5.png

Palavras mais citadas

palavras-biden-sem5.png

Palavras mais citadas

palavras-trump-sem5.png

Análise e repercussão 

Trump ataca


Na última semana, o presidente Donald Trump dominou Joe Biden nas redes. A estratégia foi partir para o ataque: Trump fez os dez posts em redes sociais com mais interações, e o com maior repercussão de Biden só aparece na 11ª posição. Desses dez, em seis Trump ataca Joe Biden diretamente. Dos 25 posts com mais compartilhamentos no Twitter citando Biden, 11 foram ataques de Trump – além de postagens de Donald Trump Jr., Ben Shapiro e Tucker Carlson, dois apoiadores do republicano. E o presidente teve engajamento bem maior que o de Biden nesta semana: 60% mais interações por post que o democrata. 

A rede alinhada com o presidente tenta reverter a vantagem que Biden mostra nas pesquisas e ajuda a impulsionar Trump nos últimos momentos.  O New York Post apoiou publicamente - o veículo publicou, na semana anterior, a matéria sobre Hunter Biden – e o editorial gerou 1,07 milhão de interações nas redes sociais. Os republicanos também conseguiram impulsionar uma matéria sobre o pedido do senador democrata Chuck Shumer para que Biden não seja investigado pelo FBI, e outra comemorando a aprovação do nome de Amy Coney Barret para a Suprema Corte. Do lado das críticas a Trump, o que mais chamou a atenção foi matéria da NCBC que mostrou a dificuldade de advogados para achar os pais de centenas de crianças imigrantes que foram separadas pela administração Trump: a reportagem teve 3,03 milhões de interações, bem mais que os artigos pró-Trump. 

Trump também segue sendo mais buscado no Google – Biden costuma gerar pouco mais que metade das buscas do presidente. Mas houve uma exceção: a noite de debate presidencial, no dia 22/10. Os resultados não são diferentes nos estados mais democratas ou mais republicanos, mas chamam bastante a atenção os termos associados aos dois na última semana. Depois de virar tema de propaganda de Trump, muita gente quer saber a opinião de Biden sobre fracking – a técnica comum de extração de gás nos EUA. Sobre Trump, as dúvidas são sobre uma conta do presidente em um banco na China. 

Brasil fala sobre EUA

O que os brasileiros estão falando sobre os estadunidenses nas redes sociais? Como o Brasil é percebido pelos Estados Unidos? Nesta seção, veremos as principais notícias que tiveram grande alcance nas redes sociais e uma nuvem de palavras com as principais menções em sites de notícias, blogs, Twitter e fóruns. Acompanhe abaixo os principais dados e a análise do período:

[Jornal da Cidade Online] Virada nos EUA: Trump alcança 52% de aprovação de seu Governo

Leia mais

[Jornal da Cidade Online] Desculpe, mas Trump vencerá!

Leia mais

Palavras mais citadas

br-eua-palavras-sem5.png

Nomes mais citados

br-eua-nomes-sem5.png

EUA fala sobre Brasil

[Reuters] AstraZeneca COVID-19 vaccine trial Brazil volunteer dies, trial to continue

Leia mais

[Comic Book] Digimon's Oldest Voice Actor Celebrates 101st Birthday

Leia mais

Palavras mais citadas

eua-br-palavras-sem5.png

Nomes mais citados

eua-br-nomes-sem5.png

Análise e repercussão


Brasil fala sobre EUA

No Brasil, a mídia bolsonarista volta a pautar o interesse pelos EUA. Na semana, dois artigos do Jornal da Cidade foram os que mais repercutiram, com cerca de 60 mil interações cada. O jornal apostou, nas duas oportunidades, na vitória do candidato republicano. A primeira matéria apontava para pesquisa realizada na última quinta-feira (22/10) pela Rasmussen Reports, que coloca Trump com 52% de aprovação. A segunda aponta a virada do republicano nas urnas por causa do aumento de registros de novos eleitores do partido republicano, o que indicaria que os apoiadores do presidente comparecerão às eleições. No Twitter, foram registradas 193 mil menções aos EUA ou americanos na semana. As palavras que mais se repetiram fazem referência à orca Lolita, que vive no parque Miami Seaquarium, onde é mantida em cativeiro num tanque há cerca de 50 anos.


EUA falam sobre Brasil

Nos EUA, a notícia de que voluntário brasileiro faleceu durante os testes da vacina Astrazeneca no Brasil foi a de maior repercussão na semana, com 47 mil interações. A notícia da Reuters também ressalta que Astrazeneca e a Universidade de Oxford, responsáveis pelo desenvolvimento da vacina, mantiveram os testes mesmo depois do ocorrido. Além dela, destacou-se a notícia do Comicbook que parabeniza o 101º aniversário do dublador brasileiro Orlando Drummond, que deu voz ao personagem Gennai de Digimon, anime famoso nos EUA, e outros tantos, como Scooby-Doo, Alf e Popeye. No Twitter, foram publicadas por americanos 46,8 mil menções ao Brasil ou brasileiros durante a última semana. O tema do voluntário brasileiro que morreu se repetiu também dessa rede, e as palavras “vaccine”, “vaccine volunteer” e “brazilian volunteer ” deram tom a preocupação com a notícia nos Estados Unidos da América. 

.