Ferramentas Pessoais

Sobre a Amcham

about-amcham.jpg

Criada como uma clássica câmara de comércio, a Amcham Brasil há muito se tornou uma entidade de escopo mais amplo. A Amcham tem sua atuação baseada em dois pilares centrais: defesa da livre iniciativa privada no Brasil e das relações entre o país e os Estados Unidos.

Além dos serviços típicos de uma câmara de comércio, a Amcham oferece um amplo portfólio de produtos e serviços que a coloca na posição de mais ativa e complexa entidade no Brasil em promoção de serviços para o meio empresarial.

A Amcham conta com: 150 comitês temáticos de discussão; forças-tarefa para trabalhar por temas essenciais a um melhor ambiente de negócios; um intenso calendário de seminários, feiras e palestras com expoentes do empresariado nacional e autoridades brasileiras e americanas; diversas atividades voltadas à geração de oportunidades de negócios para os associados; programa de vistos em parcerias com o Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo; missões comerciais e serviços para o exportador e o importador; centro de arbitragem de conflitos; e business centers que abrigam eventos próprios e de terceiros. As atividades da Amcham atraem mais de 150 mil profissionais ao ano.

A Amcham reúne cerca de 5 mil sócios distribuídos entre pequenas, médias e grandes companhias de múltiplas origens. A entidade está presente em quatorze cidades do país – São Paulo, Campinas, Ribeirão Preto, Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, Uberlândia, Brasília, Goiânia, Recife, Salvador, Joinville, Fortaleza e Campo Grande – e agrega os mais variados segmentos do empresariado nacional. Trata-se, portanto, de uma instituição com representatividade plurissetorial e multirregional, geradora de um rico conteúdo que se constitui em um painel inigualável do que há de mais importante no setor privado no país.

Desde 2010, um dos principais focos do trabalho da Amcham está voltado à identificação e eliminação de gargalos que comprometem a maior competitividade do país e se refletem em elevados  custos de transação para as empresas. Os pontos mais críticos, na visão da entidade, dizem respeito a falta de mão de obra técnica qualificada, deficiências de infraestrutura, excesso de burocracia e baixa eficiência do Estado.

Compartilhe:
Ações do documento