Amcham receberá presidenciáveis para debate sobre propostas de competitividade em 2018

publicado 02/03/2018 14h13, última modificação 02/03/2018 14h49
São Paulo – Ciro Gomes (PDT-CE) será o primeiro candidato convidado a apresentar programa de governo na Amcham

Em 2018, a Amcham vai compartilhar sua agenda de melhorias propositivas da competitividade brasileira em temas como produtividade, eficiência e inserção internacional não só com o Congresso, mas também com os candidatos à sucessão presidencial, afirma Hélio Magalhães, do Citibank Brasil, e presidente do Conselho de Administração da Amcham.

O ciclo de debates “Seu País, Sua Decisão – Amcham + 2018” será realizado com os presidenciáveis ao longo do ano na Amcham, com os candidatos mais bem colocados nas pesquisas, destaca Magalhães, no discurso de posse do novo Conselho na quinta-feira (1/3), para uma plateia de 300 CEOs, empresários e altos executivos.

“A Amcham está ao lado dos seus associados com uma agenda concreta de propostas de ganho de produtividade, de gestão e de competitividade internacional. Nós, da iniciativa privada, além de cobrar do governo medidas que dependem dele, precisamos compartilhar essa responsabilidade na busca de soluções”, argumenta.

O primeiro presidenciável convidado para debater seu programa de governo é Ciro Gomes (PDT-CE). O candidato deve compartilhar seus projetos na sede da Amcham – São Paulo até a primeira quinzena de março. Todos os presidenciáveis receberão a agenda de propostas da Amcham de melhoria da competitividade.

Programa +Competitividade Brasil

Os temas fazem parte do Programa +Competitividade Brasil da Amcham, lançado há dois anos, e que está dividido em quatro pilares de atuação: Segurança Jurídica e Atração de Investimentos, Modernização do Sistema Tributário, Integração do Brasil nas Cadeias Globais de Valor e Fortalecimento da Relação Bilateral Brasil – Estados Unidos.

“A agenda da Amcham segue mobilizada sobre grandes temas, como equilíbrio fiscal, infraestrutura, logística, segurança pública, qualificação profissional, economia digital, diversidade, educação, saúde e sustentabilidade e preservação ambiental”, observa Magalhães. Veja abaixo as propostas contidas em cada pilar:

1. Segurança Jurídica e Atração de Investimentos

- Fortalecimento das Agências Reguladoras

- Aperfeiçoamento da legislação sobre falências e recuperação judicial

- Desenvolvimento de mecanismos de financiamento a longo prazo e instrumentos de hedge

- Adoção de arbitragem em conflitos trabalhistas

2. Modernização do Sistema Tributário

- Reforma dos tributos sobre bens e serviços

- Redução do custo de compliance tributário

- Revisão da tributação da renda corporativa

3. Integração do Brasil nas Cadeias Globais de Valor

- Ampliação da rede de acordos comerciais

- Eliminação de barreiras e criação de mecanismos de fomento ao investimento brasileiro no exterior

4. Fortalecimento da Relação Bilateral Brasil – Estados Unidos

- Negociação de acordo bilateral de investimentos

- Expansão das iniciativas de convergência regulatória e de facilitação de comércio bilateral

- Retomada da perspectiva de um acordo comercial amplo