Abertura da economia brasileira, de 21,7%, é insignificante. Em 2011 Brics e AL, sem o Brasil, tinham 57% e 74%, respectivamente

Grau de abertura da economia melhora, mas pouco

publicado 25/10/2013 12h01, última modificação 25/10/2013 12h01
Abertura da economia brasileira é de 21,7%. Em 2011, Brics e AL, sem o Brasil, tinham 57% e 74% de abertura, respectivamente
comex-pib-estudos-pesquisas-01.jpg-9451.html

Até novembro deste ano, o Brasil não soube o que é um superávit na balança comercial. Em todos os meses de 2013 o saldo acumulado no ano foi sempre negativo, especialmente no primeiro quadrimestre. Até abril, o déficit acumulado era de US$ 6,1 bilhões.  Se as as exportações e importações de dezembro próximo tiverem  comportamento parecido com o do ano passado, devemos fechar o ano com um saldo positivo próximo a US$ 1,5 bilhão. Ano passado o saldo foi superior a US$ 19 bilhões.

Já o grau de abertura da economia, considerando a corrente de comércio em relação ao PIB, apresentou uma importante melhora. O comércio exterior brasileiro, que nos últimos 12 meses até novembro foi de US$ 480 bilhões, chegou a 21,7% do PIB, o maior em 5 anos. Um salto de 4,4 pontos percentuais em relação ao ano de 2009. Mas as comemorações param por aí, pois quando comparado à maioria dos países estes índices são quase insignificantes: os Brics, por exemplo, em 2011, tinham o comércio externo equivalente a 57% do PIB. A América latina, 74% - ambos sem o Brasil - e a corrente de comércio mundial era equivalente a 91% do PIB.

 

 




 

registrado em: