Competitividade e comércio Brasil-EUA estão nas prioridades da Amcham em 2015

publicado 26/03/2015 15h26, última modificação 26/03/2015 15h26
São Paulo – Novos integrantes tomam posse no Conselho de Administração da entidade
gabriel-rico-1660.html

A competitividade do país e a relação comercial Brasil-Estados Unidos serão os temas prioritários da Amcham-Brasil em 2015, diz Hélio Magalhães, presidente do Conselho Administrativo da entidade, que empossou nesta quinta-feira (26/03) nove novos conselheiros. Para Magalhães, presidente do Citibank, a câmara deve continuar contribuindo para a discussão dos problemas pelos quais o país vem passando, em função da representatividade que tem e pela riqueza de informações que seus cerca de 5 mil associados proporcionam.

“Nossos dois grandes temas são a inserção do país na cadeia global de valor e a relação com os Estados Unidos, cuja retomada não é difícil. Já á várias discussões de como fortalecer (essa parceria) e temos tido sinais muito positivos”, avalia.

O presidente do conselho defende a participação da entidade na discussão de caminhos para a competitividade brasileira.  

“O ano começou com muitos desafios que podem ser resolvidos, no curto prazo, pelo próprio Brasil. Estamos há 96 anos discutindo negócios no país e o comércio com os Estados Unidos, e temos associados de todos os setores em 13 regionais, do sul ao nordeste. Isso é riqueza que devemos disponibilizar para o debate do país, somos obrigados a participar dessa discussão”, afirma.

Ele lembra que em 2014 a câmara elaborou uma carta de propostas e a debateu em encontros com os presidenciáveis. A agenda, ressalta, permanece. E destaca o papel que o empresariado possui na recuperação do país, em meio ao cenário de crise.

“Podemos, sim, sair rápido dessa crise. Como Ram Charan disse na palestra (leia mais a seguir) que temos que começar a fazer, a praticar”, cita. “Os problemas econômicos, políticos, e também o racionamento estão impactando o ambiente de negócios no Brasil, então devemos também participar da solução”, declara.

O momento demanda um posicionamento estratégico para se sobressair perante as dificuldades, analisa Gabriel Rico, CEO da Amcham. “Em tempos difíceis, temos que aumentar nossa capacitação, produtividade, e o empenho para inovar. Temos de ser cada vez mais digitais e mais internacionais”, pontua.

Novos conselheiros

Mais de 500 empresários e executivos estiveram no evento, realizado no Amcham Business Center. Passam a fazer parte do conselho: Carlos Fadigas, presidente da Braskem; Cláudia Sender, presidente da TAM; Gaetano Grupi, presidente da Bristol-Myers Squibb; José Berenguer, presidente do JPM; José Formoso, presidente da Embratel; Maria Eduarda Kertész, presidente da Divisão de Consumo da Johnson & Johnson; Paula Bellizia, presidente da Apple; Roberto Cortes, presidente da MAN Latin America; e Guilherme Gerdau, vice-presidente da Gerdau.

Hélio Magalhães, do Citibank no Brasil, segue à frente do conselho, que conta com 37 integrantes. Ele foi o homenageado do ano, entre os conselheiros, com o “Spirit of Amcham”, um reconhecimento ao conselheiro que se destacou nas atividades da entidade, no ano anterior.

Ram Charan

A cerimônia contou com o secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Ivan Ramalho, e o indiano Ram Charan, integrante do corpo docente da Harvard Business School e estrategista de corporações como GE, Ford, 3M e DuPont. Também participaram os presidentes da Embraer, Frederico Curado, e Stefanini, Marco Stefanini, e o vice-presidente da Gerdau, Guilherme Gerdau.

Autor de 15 best-sellers sobre inovação e liderança, o indiano Ram Charan abriu a manhã com a palestra “Como ser bem sucedido no exterior e construir marcas internacionais fortes” e mediou o painel com Frederico Curado, presidente da Embraer, Guilherme Gerdau, vice-presidente da Gerdau, e Marco Stefanini, presidente da Stefanini. Eles debateram sobre os desafios da liderança global.

registrado em: