Deborah Vieitas, CEO da Amcham: empresários e governos estão “altamente engajados” em um acordo de comércio Brasil-EUA

publicado 27/11/2019 10h33, última modificação 27/11/2019 13h58
Washington – Amcham integra a delegação brasileira no diálogo empresarial que ocorre na capital americana
CEOs e autoridades brasileiras e americanas debatem propostas para aumentar o comércio e investimentos bilaterais.jpg

Em Washington, CEOs e autoridades brasileiras e americanas debatem propostas para aumentar o comércio e investimentos bilaterais

Existe um “alto engajamento” de empresários e autoridades para que o Brasil chegue a um acordo gradual de livre comércio com os Estados Unidos. Quem afirma isso é a nossa CEO, Deborah Vieitas, que acompanha esta semana, em Washington, a retomada do Fórum de CEOs Brasil-Estados Unidos.

A importância desse Fórum é ver o alto engajamento que sentimos dos dois setores privados (brasileiro e americano), que querem ver essa relação avançar, assim como o dos próprios governos”, afirma nossa CEO, em entrevista ao Jornal da Manhã da Rádio Jovem Pan (26/11).

“O objetivo de longo prazo desse grupo de empresários, junto com o governo, é que o Brasil chegue a um acordo de livre comércio. Isso será importante para estimular o comércio e o investimento entre os dois países”, acrescenta a CEO.

O Fórum de CEOs Brasil-EUA reúne 20 alto executivos, sendo dez representantes de empresas brasileiras e a outra metade de empresas americanas, além de representantes e autoridades dos dois governos. Representando o setor privado, dois conselheiros da Amcham ocupam cadeiras no Fórum de CEOs: João Miranda, da Votorantim, e Marco Stefanini, da Stefanini.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o Secretário Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, Marcos Troyjo, são os representantes brasileiros. Do lado americano, o diálogo é conduzido pelo Secretário de Comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross, que recebeu, em julho, em São Paulo, as “10 propostas para uma parceria Brasil-Estados Unidos mais ambiciosa”, em agenda preparatória para o encontro de Washington.

GLOBAL ENTRY

A primeira medida concreta do diálogo é o anúncio da participação do Brasil no Programa Global Entry dos Estados Unidos. O mecanismo permitirá trâmites mais ágeis de imigração para a entrada em território americano de viajantes brasileiros pré-aprovados e considerados de baixo risco.

Na primeira etapa, uma lista de até 20 executivos que integram o lado brasileiro do grupo de participantes do CEO Fórum Brasil-Estados Unidos será contemplada no programa. A fase seguinte, ainda a ser definida, prevê um período de testes antes de o Programa se tornar aberto aos demais interessados brasileiros que se enquadrem em seus critérios de elegibilidade. Saiba mais sobre o anúncio do Global Entry aqui.

A inclusão plena do Brasil no Global Entry consiste em uma das dez propostas que apresentamos, em julho deste ano, para a construção de uma parceria mais ambiciosa entre Brasil e Estados Unidos. A medida também foi indicada como o principal interesse de curto prazo da agenda bilateral, em Pesquisa Amcham realizada em 2019 com altos executivos.

ROTA FIXADA

Entre os temas de discussão do fórum estão acordos de tributação, infraestrutura, telecomunicações/ tecnologia e capacitação de mão de obra e saúde. Temas que devem ser trabalhados com prioridade, observa nossa CEO. “A rota foi fixada. O que é esperado é que as empresas que representam o setor privado neste fórum, junto com a Amcham, trabalhem nesses temas para chegar a resultados muito práticos.

AGENDA AMCHAM BRASIL

Nossa CEO, Deborah Vieitas, e o vice-presidente Executivo da Amcham Brasil, Abrão Árabe Neto, participaram de uma agenda de encontros com autoridades e empresários brasileiros e americanos. No domingo (24/11), os líderes da Amcham participaram do jantar oferecido aos participantes pela Embaixada do Brasil em Washington, onde o ministro da Economia, Paulo Guedes, foi o convidado de honra.

A nossa CEO participou de reuniões com o embaixador brasileiro nos EUA, Nestor Forster Jr., e representantes do governo americano, como Joseph Larosky, diretor do Departamento de Comércio dos Estados Unidos, e Courtney Smothers, diretora sênior do USTR (Escritório de Representação Comercial dos EUA) para o Brasil.

Larosky participou da reunião preparatória do CEO Fórum Brasil-EUA em setembro, realizada em nossa sede de Brasília. Na ocasião, ele anunciou outra medida que começa a vigorar até o fim de 2019. “Vamos trabalhar na substituição de alguns documentos e certificados em papel exigido no comércio bilateral.”