EUA tem 14% do comércio brasileiro. China tem 17%

por Pedro Antônio Cássio Silva — publicado 07/02/2014 10h16, última modificação 07/02/2014 10h16
São Paulo - A participação dos EUA na corrente de comércio do Brasil em janeiro é de 14,06%, a maior desde janeiro de 2013
balanca-comercial-brasil-china-fev2014-gtabela.jpg-5559.html

As exportações brasileiras para os Estados Unidos somaram, no mês passado, US$ 2,13 bilhões apresentando um crescimento de 12,3 % em relação a janeiro de 2012. Já as importações do Brasil, de produtos americanos, encerraram janeiro  em US$ 2,94 bilhões, com uma queda de 11,87 % sobre o mesmo mês do ano anterior. O déficit comercial no mês passado também reduziu-se de US$ 1,44 bilhão em janeiro de 2013 para US$ 0,80 bilhão em 2014 significando uma queda de mais de 44 %. A corrente de comércio entre os dois países fechou o mês em US$ 5,07 bilhões com decréscimo de 3% sobre o montante de janeiro do ano passado  e representa 14,04 % do fluxo  comercial total de US$ 36,11 bilhões.

As  compras brasileiras de produtos chineses em janeiro bateram recorde e fecharam em US$ 4,01 bilhões enquanto as nossas vendas foram de US$ 2,18 bilhões resultando em um déficit de US$ 1,83 bilhão, o maior desde junho do ano passado. A corrente de comércio entre os dois países foi de US$ 6,18 bilhões. A diferença para o segundo colocado, os EUA, é de 22%.

A China que em abril de 2009 passou a ser o principal parceiro comercial do Brasil embora tenha voltado à segunda colocação em alguns pequenos períodos, tinha no fim de janeiro mais de 17% do fluxo comercial total do Brasil. A participação média de China e EUA no fluxo comercial do Brasil de janeiro de 2006 a fevereiro de 2009 era de 8,60% e 15,67% respectivamente. E desde abril de 2009 até o mês passado as posições se inverteram e a média neste período é de 15,55% para a China e de 12,44% para os EUA.

 

 

 

 

registrado em: