Mapa da cidade auxilia no planejamento em comunicação

por dirceu_neto — publicado 23/04/2013 17h00, última modificação 23/04/2013 17h00
Recife – Entender como se organiza a cidade ajuda a realizar ações de propaganda mais eficazes

O mapa de uma cidade é uma ferramenta fundamental para o planejamento de ações de comunicação segmentada geograficamente. Segundo Ricardo Rique, sócio-proprietário da CASA Comunicação, analisar visualmente como o mercado consumidor se dispõe e se locomove nas diferentes regiões da cidade é um exercício simples e muito eficaz para atingir o público alvo.

“Olhar para o mapa da cidade ajuda a descobrir algo além do que já sabemos”, contou Rique durante o comitê de Marketing da Amcham-Recife, na última segunda-feira (22/04). 

As vias de circulação mais movimentadas, a taxa de ocupação da cidade por classe social, os locais mais utilizados para lazer e trabalho são algumas das informações que podem ser dispostas visualmente em um mapa para auxiliar no planejamento da comunicação. 

Detectar onde ficam os pontos de aglomeração dos consumidores foi uma das principais vantagens apresentadas por Rique. São locais que dispõem de um grande número de pessoas como estádios, parques, shopping centers, casas de show, grandes empresas, repartições públicas, entre outros. Saber onde estão esses pontos é importante para desenvolvimento de ações junto a cada um dos públicos.

Os dados que constarão no mapa podem vir de diversas fontes, desde institutos de pesquisa em comunicação ou observações cotidianas até informações demográficas básicas de cada cidade, pontuou Rique.

“Colecionamos essas informações visando entender melhor a dinâmica do uso dos espaços na cidade e utilizando isso a favor das ações de comunicação que serão”, explica Rique. Ele destaca que a estratégia é eficaz principalmente para o planejamento de ações em mídia exterior e no corpo a corpo junto ao consumidor. 

Um ponto que exige prática e poder de análise, segundo o executivo, é saber utilizar informações específicas para clientes variados.  “Para cada planejamento você pode olhar para um mesmo mapa e fazer perguntas diferentes”, comenta. Dados como localização de ciclovias ou distribuição de pontos de vendas, por exemplo, podem ser úteis em alguns casos, porém não em outros.

 

registrado em: