Senado está alinhado com a proposta da Amcham de aprofundar o relacionamento com os EUA, diz Nelson Trad

publicado 10/10/2019 09h00, última modificação 10/10/2019 12h10
São Paulo – Senador que preside a Comissão de Relações Exteriores dialogou com empresários sobre relação bilateral
Abrão Neto e Deborah Vieitas, Senador Nelson Trad, Adam Shub e Dan Ioschpe.jpg

Da esq. para a dir.: Abrão Neto e Deborah Vieitas (Amcham), Senador Nelson Trad, Adam Shub (Consulado dos EUA em São Paulo) e Dan Ioschpe (Iochpe-Maxion)

O Senado está alinhado com as nossas dez propostas para uma parceria ambiciosa entre Brasil e Estados Unidos. Quem afirma é o senador Nelson Trad (PSD-MS), presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, que veio a São Paulo dialogar com empresários no dia 4/10. “Não poderia estar mais de acordo de que temos de avançar em todos os projetos”, afirma.

Durante o diálogo, as dez propostas para uma parceria bilateral mais ambiciosa foram entregues a Trad pela nossa CEO, Deborah Vieitas. “Concluímos o acordo de salvaguardas tecnológicas entre os dois países, mas ressalto a necessidade de avançarmos em um acordo para evitar a bitributação, outro de investimentos e o possível acordo de livre comércio”, comenta.

– Baixe o documento completo em português aqui [for the English version, click here] –

Trad destaca o engajamento da Comissão de Relações Exteriores em trabalhar com a Amcham na agenda proposta. Na reunião, o senador convidou a Amcham para participar de uma audiência publica sobre a relação bilateral. Para Trad, o engajamento do setor privado é fundamental nos assuntos relativos ao tema.

Reforma da previdência e tributária

O parlamentar também abordou a reforma da previdência, que está perto de ser aprovada. “Diria que 90% de toda essa história da reforma da previdência já foi concluída”, disse.

Em relação à reforma tributária, Trad disse que as duas propostas em tramitação na Câmara dos Deputados e Senado estão sendo avaliadas pelos parlamentares. “Pontos comuns existem (entre as duas propostas), como a manutenção de níveis adequados de arrecadação. Mas a nova configuração desses impostos, combinada com distribuição entre os diversos entes federativos, precisa ser equacionada”, comenta.

Uma das propostas é a PEC 45 de autoria do deputado Baleia Rossi (MDB-SP). Em linhas gerais, ela propõe a criação do Imposto sobre Bens e Serviços (IBS) em substituição a cinco impostos (IPI, PIS, Cofins, ICMS e ISS).

O Senado discute a PEC 110, de autoria do deputado federal Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR). O IBS proposto substituiria nove tributos (os cinco da PEC 45 mais IOF, Pasep, salário-educação e CIDE-combustíveis).