“Reinstalação do Grupo Parlamentar Brasil-Estados Unidos traz incremento a cooperação bilateral”, diz CEO da Amcham

publicado 06/12/2019 10h34, última modificação 09/12/2019 11h47
Brasília - Para Deborah Vieitas, o engajamento de senadores é um reconhecimento a importância estratégica da relação entre os dois países
Da esq para dir Senador Roberto Rocha, Ministro-Conselheiro da Embaixada dos EUA William Popp e Deborah Vieitas, CEO da Amcham..jpg

Da esq. para dir.: Embaixador Benoni Belli, Senador Roberto Rocha, Ministro-Conselheiro da Embaixada dos EUA William Popp e Deborah Vieitas, CEO da Amcham

O Senado Federal reinstalou, nesta quarta-feira (4/12), o Grupo Parlamentar Brasil-Estados Unidos com objetivo de incentivar e desenvolver as relações entre os dois países. Para a nossa CEO, Deborah Vieitas, aprofundar o entendimento dos impactos e aumentar os laços de cooperação são a base para a construção de uma parceria Brasil-Estados Unidos mais ambiciosa.

“É fundamental contarmos com o engajamento de parlamentares na ampliação dos horizontes da relação bilateral, participando ativamente da construção e formação de pontes estratégicas e de convergência entre as duas maiores economia do continente”, discursou Vieitas, em Brasília, na reunião de instalação do Grupo Parlamentar Brasil – Estados Unidos (GPEUA), em Brasília.

Acreditamos que a formação do Grupo é um reconhecimento à importância da Relação Bilateral Brasil-Estados Unidos. “Nós, do setor privado, enxergamos como fundamental ter um mecanismo institucional de apoio e aprimoramento de legislações entre países que levem a parcerias de comércio e investimento relevantes”, reforçou Deborah Vieitas que, na ocasião, representou a visão de cinco mil empresas e de 33% do PIB brasileiro reunidos na Câmara Americana no Brasil.

O Grupo Parlamentar será bicameral, regime em que as discussões legislativas acontecem conjuntamente na Câmara dos Deputados e no Senado Federal. A presidência será do Senador Roberto Rocha (PSDB/MA) com os senadores Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) e Tasso Jereissati (PSDB - CE) na vice-presidência.

Para secretários do grupo foram eleitos os senadores Antonio Anastasia (PSDB-MG), Eduardo Gomes (MDB-TO), Izalci Lucas (PSDB-DF), Irajá (PSD-TO). Os senadores Esperidião Amin (PP-SC), Arolde de Oliveira (PSD-RJ), a deputada Angela Amin (PP-SC) e o deputado Eduardo da Fonte (PP-PE) também formarão o Grupo Parlamentar Brasil-EUA. Outros parlamentares poderão aderir a composição do grupo parlamentar por meio dos termos de adesão, que estão disponíveis nos portais do Senado e da Câmara.                                

IMPORTÂNCIA DA RELAÇÃO BILATERAL 

No seu discurso, em Brasília, nossa CEO reforçou a importância da Relação Bilateral Brasil-Estados Unidos pelo alto valor agregado das trocas comerciais existentes, trazendo complementariedade entre as indústrias de ambos os países.

Ao longo de 2018, a corrente de comércio bilateral somou aproximadamente US$ 58 bilhões, com transações que envolveram diversos setores de nossas economias, como o de Máquinas e Equipamentos; Combustíveis, Aeronaves, Plásticos, Produtos Químicos, Alimentos, entre outros. Em 2017, o estoque de investimentos mútuos entre os dois países superou US$ 111 bilhões, conforme levantamento da Apex Brasil.

Apesar do expressivo e crescente intercâmbio comercial e de investimentos em nível bilateral, entendemos que a relação Brasil-Estados Unidos ainda está longe do patamar esperado e possível. Existe muito mais a construir e explorar”, comentou Deborah.

Reconhecemos os esforços criativos bem sucedidos por ambos os países no sentido de explorar novos temas na agenda bilateral, com resultados concretos e importantes para suas empresas em áreas como convergência regulatória, facilitação de comércio, acordos para análise acelerada de patentes (Patent Prosecution Highway ou PPH) e boas práticas regulatórias, entre outras.

Além dos trabalhos do Diálogo Comercial Brasil & Estados Unidos, houve avanços expressivos para o estabelecimento de diálogos setoriais como os de defesa, energia, infraestrutura e outras áreas de interesse comum.

PROPOSTAS PARA UMA PARCERIA MAIS AMBICIOSA

Em sinergia com a reinstalação do Grupo Parlamentar, lançamos, em junho, o documento “Brasil-Estados Unidos: 10 propostas para uma parceria mais ambiciosa”, consolidando a visão do setor privado sobre ações de aprimoramento da relação bilateral. O documento foi lançado na ocasião da visita do Secretário de Comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross, ao Brasil.

As propostas reúnem medidas com potencial de alavancar as relações comerciais entre as duas maiores economias da América Latina, com destaque para um acordo de livre comércio. Segundo a nossa CEO, existe um “alto engajamento” de empresários e autoridades para que o Brasil chegue a um acordo gradual de livre comércio com os Estados Unidos.

Ela também acompanhou, em Washington, a retomada do Fórum de CEOs Brasil-Estados Unidos, ocorrido no último dia 25/11. “A importância desse Fórum é ver o alto engajamento que sentimos dos dois setores privados (brasileiro e americano), que querem ver essa relação avançar, assim como o dos próprios governos”, afirma nossa CEO, em entrevista ao Jornal da Manhã da Rádio Jovem Pan (26/11).

O objetivo de longo prazo desse grupo de empresários, junto com o governo, é que o Brasil chegue a um acordo de livre comércio. Isso será importante para estimular o comércio e o investimento entre os dois países”, acrescenta a CEO.

O Fórum de CEOs Brasil-EUA reúne 20 alto executivos, sendo dez representantes de empresas brasileiras e a outra metade de empresas americanas, além de representantes e autoridades dos dois governos. Representando o setor privado, dois conselheiros da Amcham ocupam cadeiras no Fórum de CEOs: João Miranda, da Votorantim, e Marco Stefanini, da Stefanini.