Amcham: fim da disputa entre Brasil e EUA sobre o suco de laranja abre espaço para incremento do comércio bilateral

por andre_inohara — publicado 20/02/2013 17h36, última modificação 20/02/2013 17h36
São Paulo – “Trata-se de uma decisão positiva para a relação comercial entre os dois países. Foi uma solução comercial, mas também política”, avalia CEO da entidade.
gabriel_195.jpg

Na última terça-feira (19/02), o Brasil encerrou uma disputa com os Estados Unidos no âmbito da Organização Mundial do Comércio (OMC) acerca de medidas antidumping aplicadas pelos americanos sobre o suco de laranja brasileiro. A notícia é positiva e abre maiores oportunidades de comércio com os EUA.

“Em 2012, o Brasil exportou US$ 270 milhões em suco de laranja aos EUA. Se resolvemos um problema de barreira nesse aspecto, o Brasil tem chance de vender mais aos americanos”, afirma Gabriel Rico, CEO da Amcham.

Veja aqui quais são as vantagens de ser sócio da Amcham

A polêmica do suco de laranja se iniciou em 2009, quando a Organização Mundial do Comércio (OMC) acolheu o pedido das autoridades brasileiras de investigar os Estados Unidos por prática de zeroing [redução a zero]. Trata-se de uma metodologia controversa que sobretaxa produtos importados acusados de estarem sob efeito de dumping.

A OMC deu ganho da causa ao Brasil em 2011 e os EUA acataram suas recomendações. “Trata-se de uma decisão positiva para a relação comercial entre os dois países. Foi uma solução comercial, mas também política, que carrega esses dois significados. Quando se sela um acordo desse tipo, há melhora das relações como um todo”, avalia Rico.

Ambos os países possuem importante relação comercial e é natural que, com o avanço das relações, eventualmente haja questionamentos entre parceiros. “Os EUA têm 105 reclamações na OMC, sendo que apenas três são dirigidas ao Brasil, mostrando que os americanos vêm o Brasil como um parceiro com bom comportamento. O Brasil, por sua vez, soma 25 ações na OMC, sendo nove contra os EUA”, observa Rico.

registrado em: