Brasil continua oferecendo oportunidades de investimento no longo prazo

publicado 14/11/2014 15h40, última modificação 14/11/2014 15h40
São Paulo – Economistas do Santander, SOBEET e AC Lacerda Consultores falaram das expectativas para o Brasil pós-eleições
comex-how-to-1657.html

Na reunião especial do comitê de Comércio Exterior da Amcham – São Paulo, realizada na sexta-feira (14/11), economistas Cristiano Souza, do Banco Santander, Luís Afonso Lima, da SOBEET (Sociedade Brasileira de Estudos de Empresas Transnacionais e da Globalização Econômica) e Antônio Corrêa de Lacerda, da PUC-SP concordaram que os próximos anos serão de ajustes, mas o País continua oferecendo grandes oportunidades para investidores estrangeiros no longo prazo.

Veja abaixo alguns trechos dos depoimentos dos economistas no evento que contou com cerca de 200 empresários presentes:

“Os empresários brasileiros têm alta qualidade, se comparado aos concorrentes da China, Turquia, Índia e Indonésia. Em compensação, os serviços públicos brasileiros são os piores. Se melhorarmos isso, a perspectiva de desenvolvimento no longo prazo será de deixar Índia e, talvez a China, para trás.” Cristiano Souza, economista do Banco Santander

“O fluxo de Investimento Estrangeiro Direto (IED) no Brasil pode não repetir mais os US$ 60 bilhões daqui para frente. Temos que adotar posturas mais ativas na busca de capitais externos, buscar novos parceiros e estimular o desenvolvimento de regiões como o Norte e Nordeste. E aproveitar mais as cadeias globais de valor, dando condições para que as multinacionais presentes integrem mais o país na cadeia global.” Luís Afonso Lima, diretor-presidente da SOBEET

“Nosso desafio é transformar a economia brasileira em um exportador mais relevante. Estamos entre os principais mercados consumidores do mundo, mas somos o 22º no ranking de exportadores, e o 64º em inovação. Temos que transformar o enorme potencial em mais desenvolvimento e absorção internacional de investimentos.” Antonio Corrêa de Lacerda, sócio-diretor da AC Lacerda Consultores Associados

Para Cristiano do Santander, a prioridade da próxima equipe econômica deveria ser o ajuste fiscal. Já Luís Afonso, sugeriria infraestrutura como o item número um para a retomada do desenvolvimento. Para Lacerda, restaurar a confiança é a medida essencial para o governo reeleito. Sem ela, todo o restante fica comprometido.

 

registrado em: