Empresas brasileiras de TI têm potencial para se tornarem mais conhecidas nos EUA

por andre_inohara — publicado 07/10/2011 16h30, última modificação 07/10/2011 16h30
São Paulo - Missão da Amcham realiza contatos comerciais e com institutos de tecnologia, e capta essa oportunidade.

As empresas americanas de Tecnologia da Informação (TI) estão procurando oportunidades de negócios além de China e Índia, e o Brasil desponta como forte candidato devido à abundância de recursos e à afinidade cultural. Falta que as companhias brasileiras do setor se tornem mais conhecidas no mercado americano.

A tendência foi captada pela missão de TI da Amcham, em parceria com a Embaixada do Brasil em Washington, aos EUA. A comitiva composta por 17 participantes de 15 empresas chegou ao país na segunda-feira (03/10) e concluiu a viagem na sexta-feira (07/10). O grupo passou por Washington, Virgínia, Maryland e Nova York.

Preparação e relacionamento

John Stoddard, sócio da Web Associates, consultoria com a qual a missão teve contato, aponta que um dos segmentos com maior potencial em TI é o ligado à saúde. Para se inserir nesse mercado, as empresas brasileiras devem realizar adaptações para o mercado americano, aconselhou ele. 

Stoddard também ressaltou que entrar no mercado dos EUA não é algo rápido. O processo exige tempo de preparação e relacionamento.

Contato com entidades de apoio e feiras de negócios

Além de conhecer potenciais parceiros de negócios, os integrantes da missão de TI visitaram instituições de pesquisa e incubadoras de empresas como forma de ampliar os conhecimentos sobre apoio e incentivo ao setor de TI.

Em Washington, um dos pontos altos da viagem foi o encontro com o embaixador do Brasil, Mauro Vieira, classificado como bastante produtivo pelos participantes.

Em Nova York, merece destaque a visita à Interop 2011, uma das principais feiras de TI do mundo.

Durante toda a programação, os participantes puderam realizar contatos comerciais, conhecer institutos de tecnologia e se familiarizar com novos produtos.

"Notamos muito interesse pelas companhias brasileiras na Interop. Fomos procurados em busca de maior entendimento sobre as maneiras de se entrar no Brasil e iniciar negócios no País”, disse Camila Moura, gerente de Comércio Exterior da Amcham, que acompanhou o grupo.

 

registrado em: