Thomas Shannon:visita de Barack Obama ao Brasil inicia nova fase de integração entre as sociedades brasileira e americana

por giovanna publicado 18/03/2011 22h44, última modificação 18/03/2011 22h44
Brasília - Embaixador dos EUA no Brasil discursou em evento prévio à chegada do presidente americano ao País promovido por Amcham, Brazil-US Business Council e CNI.
thomas_materia.jpg

Na visão do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon, a visita do presidente americano, Barack Obama, ao Brasil representa o início de uma nova fase de integração entre as sociedades dos dois países.

“Brasil e EUA avançarão em uma comunicação mais intensa não somente entre governos, mas entre sociedades. Haverá maior interação entre meio empresarial, universidades, estudantes e no turismo”, destacou o diplomata. Ele participou de coquetel em Brasília promovido por Amcham, Brazil-US Business Council e Confederação Nacional da Indústria (CNI) para empresários, executivos e autoridades de Brasil e Estados Unidos, um evento prévio à chegada de Obama.

Desde 2007, o Brasil não recebia a visita do líder do governo americano. Shannon fez questão de ressaltar a circunstância inédita da vinda de Obama. “É um fato histórico o primeiro presidente afro- descendente eleito nos EUA se reunir com a primeira presidente do sexo feminino eleita no Brasil. Isso demonstra o quanto os dois países são evoluídos quanto à diversidade e podem contribuir em um movimento de inclusão . São duas fortes democracias que podem obter muitos benefícios em diversas parcerias”, afirmou.

O embaixador destacou que, durante a viagem, Obama centrará a maior parte dos esforços nos temas relativos a comércio e investimentos. Segundo ele, o fluxo de bens e serviços tem muito espaço para crescer e beneficiar as duas nações. “Há uma forte relação de complementaridade a ser explorada”.

Participaram do coquetel conselheiros da Amcham – entre eles,  Marcos Oliveira, presidente da Ford no Brasil; Iêda Novais, diretora da BDO Auditores; Herbert Steinberg, presidente da Mesa Corporate Governance; Regina Nunes, presidente da Standard & Poor’s no Brasil;Roberto Pasqualin, sócio titular do escritório Roberto Pasqualin Advogados e Gaetano Crupi, gerente geral da Abott Brasil, além do ex-conselheiro, Mark Pitt, presidente da Sherwin Williams no Brasil. O secretário da Fazenda do Estado do Paraná, Luiz Carlos Hauly, que atuou durante muitos anos frente ao Grupo Parlamentar Brasil-EUA da Câmara Federal, também marcou presença.

Do lado americano, o destaque foi o presidente do Export-Import Bank, Fred Hochberg. Ele estará na Amcham-São Paulo na segunda-feira, em almoço com o secretário de Comércio dos EUA, Gary Locke.

 

registrado em: