Workshop Amcham capacita mulheres empreendedoras sobre os processos de exportação

publicado 13/10/2016 09h46, última modificação 13/10/2016 09h46
São Paulo - Especialistas de diversas áreas apontaram a importância do planejamento e da adaptação das empresas brasileira a diferentes culturas
mulheres-exportadoras-1212.html

Micro e pequenas empreendedoras estiveram presentes na terça-feira (11/10), na sede da Amcham, em São Paulo, para a 1º edição do workshop Mulheres Exportadoras. O evento, realizado em parceria com a Rede Mulheres Empreendedoras, detalhou os processos de exportação, negociações entre diferentes culturas, o papel da mulher no empreendedorismo internacional, além de cases de sucesso.

A programação contou com cinco módulos de capacitação e diferentes especialistas, que compartilharam suas experiências e tiraram dúvidas dos públicos ao longo da tarde.

O workshop faz parte da agenda Amcham de diversidade, que valoriza e incentiva a isenção das mulheres e de gêneros no mercado. O próximo encontro acontece no dia 25/10 com o Seminário de Empoderamento da Mulher.

Confira os principais destaques do Workshop Mulheres Exportadoras:

Daniela Almeida, gerente de comércio exterior da Amcham
“Hoje o Brasil representa apenas 1% do comércio internacional, o que é um número bem baixo dentro de todas as possibilidades existentes. Então, nós gostaríamos de nos colocar mais a disposição para ver como podemos juntos trabalhar para a melhoria desse número”.

“Existem muitos benefícios na exportação. Exportando as empresas tem acesso a um novo mercado e, consequentemente, os produtos se tornam mais competitivos porque acabam lidando com outros competidores fora”.

Fátima Kagohara, diretora de people & culture da Grant Thornton
“A diversidade é fundamental para as empresas. Para que elas prosperem”

“A mulher exportadora sabe que hoje nós ganhamos um espaço diferenciado no mercado, mas nós ainda temos muitos desafios”.

“Nós temos o poder de tomada de decisão. Nós, ao longo dos anos, por mais que não tivéssemos a cultura de empoderamento, nós conseguimos conquistar o nosso lugar no mercado de trabalho. Isso é muito importante”.

Mariana de Oliveira Barros, managing partner na Differänce Intercultural Consultants
“Começo dizendo que vivemos grandes preconceitos no mundo atual, primeiro é o das mulheres e segundo é da cultura”.
“Outras culturas não são uma tentativa falha da sua cultura”.

Monica Rodriguez, consultora de comércio exterior na BARRAL M JORGE Consultoria
“Eu via a dificuldade que as empresas tinham em se organizar e entender qual era o seu negócio e o produto que elas estavam exportando”.

“Como tudo mundo já sabe, não é fácil fazer negócios no Brasil. Eu sei exatamente o que tudo passa. A questão de se organizar e identificar exatamente o produto que você quer oferecer ou o serviço, é muito importante”.

registrado em: