A escalada da Qualicorp com três captações de recursos em três anos

por simei_morais — publicado 03/04/2013 15h17, última modificação 03/04/2013 15h17
São Paulo – Gestora de planos de saúde aumentou negócios após captações
wilson_olivieri.jpg

Quando começou a vender planos de saúde de porta em porta, no começo da década de 80, José Seripieri Filho, conhecido como Júnior, não imaginava que um dia se tornaria bilionário e dono de uma das empresas brasileiras que mais renderam aos fundos de investimentos, recentemente: a Qualicorp. De 2008 a 2011, a gestora de planos de saúde vendeu parte de seu capital para dois dos maiores fundos de investimentos norte-americanos e estreou na Bovespa.

As operações foram abordadas pelo diretor financeiro da companhia, Wilson Olivieri, no comitê aberto de Finanças na Amcham – São Paulo, nesta quarta-feira (03/04). O evento discutiu as tarefas necessárias para se candidatar a operações de captação.

Em 2008, o General Atlantic, fundo de private equity, comprou 46% da empresa por US$ 156 milhões. Em maio de 2010, a empresa estava prestes a fazer o IPO quando foi aconselhada a abortá-lo. “O mercado despencou e tivemos de desistir. Foi uma frustração”, conta o diretor.

Mas dois meses depois, o grupo americano Carlyle anunciou a compra de 70% da Qualicorp, a US$ 447 milhões, segundo o mercado (Seripieri detém 28%). Em junho de 2011, a Carlyle abriu o capital da empresa na bolsa, com papéis a R$ 13. “Ontem, fechou a mais de R$ 21”, destaca Olivieri.

A Qualicorp saiu às compras e, só no ano passado, adquiriu grupos em várias regiões do país, como o Aliança (Brasília), o Fidelitas (Bahia) e Padrão (Nordeste e Sudeste).

Leia mais:

Estruturação interna é ponto de partida para captação de recursos

Amor aos Pedaços quer expandir franquias com sócio financeiro

Vigor reabriu capital após quatro anos e comprou concorrente