Aceleração ou inércia: o PIB de 2020 na visão da indústria (IEDI), infraestrutura (ADBID), comex (Amcham) e TI (Brasscom)

publicado 21/10/2019 15h56, última modificação 24/10/2019 11h41
São Paulo – Lideranças setoriais traçam perspectivas econômicas no seminário Brasil 2020 da Amcham
SP_BRASIL-2020_BANNER_800_400.jpg

No seminário ‘Brasil 2020 – Aceleração ou Inércia: Quais as expectativas para o País?’ da Amcham Brasil, setores econômicos de peso representados pelos líderes de infraestrutura – Venilton Tadini (ABDIB), indústria – Júlio de Almeida (IEDI), comércio exterior – Abrão Árabe Neto (Amcham) e telecomunicações e TI – Sérgio Galindo (Brasscom), vão debater na Amcham-SP a contribuição de seus setores para o PIB do ano que vem. O Brasil 2020 acontece na Amcham Brasil na sexta-feira (25/10), das 8h às 12h.

O estrategista-chefe Vladimir Caramaschi do Valeestrategista-chefe do Crédit Agricole Indosuez Wealth para a América Latina, aborda o cenário econômico e, no cenário político, o consultor Leonardo Barreto, sócio da Capital Político, aborda o impacto da política no crescimento do país em 2020.

O crescimento esperado de 2% do PIB em 2020 (Boletim Focus do Banco Central) traz decisões importantes para as empresas, que decidem se vão acelerar investimentos ou aguardar uma conjuntura mais favorável.

Nesse contexto, Tadini, da ABDIB, debate a necessidade das políticas públicas e a construção de uma agenda de longo prazo para a atração de investimentos. Árabe Neto, da Amcham, compartilha o desafio da inserção brasileira nas cadeias globais de valor e os desdobramentos da relação Brasil-EUA.

Almeida traça as perspectivas de crescimento do setor industrial e Galindo detalha o cenário para a adoção de tecnologias de comunicação e de informação.

registrado em: , , ,