Brasil precisa de investimento de US$ 30 bi ao ano em energia

por junior publicado 31/10/2010 13h16, última modificação 31/10/2010 13h16
Belo Horizonte - Cálculos da Fundação Dom Cabral se referem a demandas urgentes da próxima década.

O Brasil precisará investir US$ 30,2 bilhões ao ano pela próxima década para suprir suas necessidades urgentes de infraestrutura. Os cálculos são de Paulo Resende, diretor de Desenvolvimento da Fundação Dom Cabral, e foram apresentados na sexta-feira (22/10) durante o “Ciclo Amcham de Desenvolvimento Setorial: Siderurgia e Mineração” realizado pela Amcham-Belo Horizonte.

“O País é uma promissora fronteira para investimentos em infraestrutura. Para os próximos dez anos, consideramos necessário o investimento de US$ 30,2 bilhões por ano”, disse Resende.

Segundo ele, esse valor deveria se distribuir da seguinte forma: US$ 8,6 bilhões para energia (Geração, Transmissão e Distribuição); US$ 9 bilhões para logística; US$ 5,6 bilhões para mobilidade urbana; e US$ 7,0 bilhões para telecomunicações.

Os resultados de tal investimento, ainda conforme o professor Resende, seriam:

  • Aumento da fatia de estradas pavimentadas atingindo 50% da malha (em relação a 12% atuais), da capacidade portuária em 60%, e da participação ferroviária na matriz nacional de transportes de 25% para 38%;
  • Duplicação da capacidade metroviária das seis maiores regiões metropolitanas;
  • Duplicação da capacidade dos seis principais aeroportos;
  • Obtenção de uma relação de 700 linhas de telefone e 300 usuários de internet para cada mil habitantes;
  • Ampliação da oferta de energia em 7% por ano ao longo da década.

Case LLX

 

O evento da Amcham abriu espaço para a discussão do case

da LLX Logística, do grupo EBX, que está construindo no País dois terminais portuários privativos de uso misto e de grande capacidade: o Superporto do Açu, no município de São João da Barra, na região norte do Estado do Rio de Janeiro, e o Superporto Sudeste, em Itaguaí, na Baía de Sepetiba, Rio de Janeiro.

“Os projetos são totalmente integrados à malha logística e atenderão 72% do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil”, afirmou Leonardo Gadelha, diretor financeiro da LLX.

Ele revelou que o Superporto do Açu é hoje o maior investimento de infraestrutura portuária no Brasil. A conclusão da construção está prevista para o primeiro semestre de 2012. “O investimento total no Distrito Industrial do Açu poderá atingir US$ 36 bilhões”, adiantou. O empreendimento terá dez berços de atracação, englobando minério de ferro, movimentação de petróleo, carvão e produtos siderúrgicos, escória, granito e ferro-gusa.

Já o Superporto Sudeste terá dois berços para minério de ferro com capacidade total de 50 milhões de toneladas por ano, estará integrado à ferrovia MRS e tem início de operações previsto para final de 2011 ou início de 2012. “O investimento é estimado em R$ 1,8 bilhões”, disse Gadelha.