Confira frases de destaque do seminário “O ICMS QUE INTERESSA A TODOS” da Amcham-SP

por andre_inohara — publicado 17/05/2013 12h45, última modificação 17/05/2013 12h45
São Paulo - Evento reuniu o ex-ministro Delfim Netto, os secretários da Fazenda de PE, MS e SP e executivos.
painel_195.jpg

Ex-ministro Delfim Netto: “A reforma do ICMS é fundamental para aumentar a produtividade da economia brasileira".

Economista Fernando Rezende: “O ICMS não e problema de economista ou tributarista, é de psicanalista. É um imposto à procura de identidade”

Paulo Câmara, secretário da Fazenda de PE: "Nosso sistema tributário hoje não combate as desigualdades. Há Estados que perdem com essa alíquota unificada em 4% em 12 anos".

Jader Afonso, secretário da Fazenda do MS: “O ICMS é a principal de arrecadação de vários estados e, no Mato Grosso do Sul, representa 90%. É preciso cautela”

Andrea Calabi, secretário da Fazenda de SP: “Nos últimos seis anos, tivemos uma perda de 100 bilhões de dólares na balança comercial da indústria manufatureira”

Sérgio Pompílio, vice-presidente Jurídico da Johnson & Johnson: “Difícil justificar para uma empresa estrangeira que o que foi extensivamente negociado não vale mais”.

Pedro Bentancourt, gerente de relações governamentais da GM: “É fundamental unificar o ICMS e ter um código único tributário”.

Gabriel Rico, CEO da Amcham: “153 investidores estrangeiros procuraram à Amcham, no último ano, interessados no Brasil. A complexidade tributária continua sendo uma das principais barreiras na atração deste capital”.

O SEMINÁRIO

A Amcham-São Paulo realizou na sexta-feira (17/05) o seminário "O ICMS que interessa a todos", sobre os efeitos das mudanças do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) no setor privado brasileiro e na competitividade das economias estaduais.

A Resolução do Senado 13/2012, em discussão no Congresso, propõe redução para 4% da alíquota do ICMS em operações interestaduais com insumos importados e 7% para alguns estados e produtos. Esta redução unificaria gradualmente a alíquota para produtos nacionais até 2025.

O evento reuniu mais de 200 executivos e foi mediado pelos economistas Delfim Netto e Fernando Rezende, e contou com a presença dos secretários da Fazenda dos Estados de São Paulo, Andrea Calabi; e de Pernambuco, Paulo Henrique Saraiva Câmara; e do Mato Grosso do Sul, Jader Afonso .

Sérgio Pompílio, vice-presidente Jurídico da Johnson & Johnson, e Pedro Bentancourt, gerente de relações governamentais da General Motors, também participaram do seminário, abordando aspectos estratégicos, logísticos e tributários à luz das novas medidas.