Crédito e capacitação são os principais desafios para aproximar PMEs de grandes empreendimentos em PE

por giovanna publicado 16/12/2011 12h13, última modificação 16/12/2011 12h13
Recife – Associação desses dois fatores ao empreendedorismo local é decisiva à integração, aponta gerente da Caixa Econômica Federal.
credito_corpo.jpg

O acesso ao crédito é fator importante para que micro, pequenas e médias empresas se aprimorem e consigam se integrar e se beneficiar do bom momento da economia pernambucana, impulsionado por investimentos de grandes empresas. É o que aponta Kleber Coelho, gerente regional do Segmento Empresarial da Caixa Econômica Federal

“A associação desses dois fatores – crédito e capacitação -, aliados ao empreendedorismo nato dos empresários pernambucanos, permite a integração de pequenos e médios negócios aos grandes empreendimentos que estão chegando. Nosso papel é prover crédito a essas empresas e orientar, dando caminhos para questões como capacitação, certificação e qualidade”, afirmou Coelho durante o Encontro de Comitês – Business Round Up, realizado pela Amcham-Recife na terça-feira (13/12).

Coelho comenta que a procura por crédito tem crescido em Pernambuco nos últimos anos, chegando a superar médias nacionais. Ele nota ainda que, na procura por crédito, os empresários também estão em busca de outras informações sobre o mercado e a qualificação necessária para atuar junto a outras companhias.

Perspectivas para o consumidor

Durante a Business Round Up, especialistas debateram perspectivas para o ano de 2012. Giovanni di Carli, sócio-diretor da agência Gruponove, apresentou as principais características assumidas pelos consumidores nos últimos anos: preocupação com sustentabilidade, necessidade de interação com as marcas, busca de conveniência e grande número de pessoas em situação de ascensão socioeconômica.

Como exemplo dessa procura por interação, o especialista cita o case da campanha da Elma Chips, que convocou seus consumidores, através de anúncios em televisão, rádio e redes sociais, a escolher um novo sabor para a batata Ruffles. A ação representou o envolvimento do consumidor nos negócios da empresa.

Serviços no Nordeste

O executivo da Gruponove indica que a partir do próximo ano uma tendência forte para o Nordeste será a busca por melhoria na prestação de serviços, ponto que, segundo ele ainda é muito falho na região.

“A expectativa é que a crescente exigência do consumidor naturalmente levará a melhor capacitação na prestação de serviços. Sabemos que um bom serviço depende essencialmente de pessoas, então não adianta ter uma marca forte, processos modernos, se não houver indivíduos preparados para prestar um bom atendimento”, analisou.

Mercado da Comunicação

Di Carli destacou que o mercado da Comunicação no Nordeste deve passar por mudanças. “O crescimento latente da região tem atraído novas agências e, diferentemente do que pensávamos, elas entram no mercado por meio de parcerias com agências locai, à procura do consumidor nordestino”, comentou.

Outra tendência é o incremento no investimento de marcas locais, motivado pela entrada de grandes marcas nacionais no mercado e pela necessidade de preservar as fatias de mercado dos produtos regionais.

Business Round Up

Outro especialista que participou do evento foi Alexandre Rands, professor doutor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Leia mais sobre os números para a economia pernambucana nos próximos dez anos apresentados por ele aqui.

Durante o evento, foi divulgada pesquisa da Amcham com as perspectivas do empresariado para o próximo ano. Confira detalhes aqui.