Crise internacional não prejudicará investimentos estrangeiros em São Paulo, garante secretário Alfredo Cotait

por giovanna publicado 30/01/2012 18h06, última modificação 30/01/2012 18h06
São Paulo – Na avaliação dele, cidade continuará sendo grande polo de entrada de recursos.
crise_corpo.jpg

O cenário de crise internacional não prejudicará a posição da cidade de São Paulo como grande polo de atração de investimentos estrangeiros, avalia Alfredo Cotait Neto, secretário de Relações Internacionais da Prefeitura de São Paulo. Ele participou nesta segunda-feira (30/01) de almoço especial na Amcham-São Paulo.


“Existe um grande clima de otimismo, medidas estão sendo tomadas e continuamos trabalhando na atração de investidores externos. Continua sendo grande e crescente o volume de interessados em aplicar recursos externos no município”, contou ele. 


Diante desse contexto, um dos principais focos de atuação da Secretaria de Relações Internacionais neste ano será continuar oferecendo oportunidades de negócios interessantes a investidores estrangeiros interessados na capital paulista. “Os investidores continuam chegando e estamos preparados para recebê-los. O desenvolvimento de Parcerias Público-Privada (PPPs) na área de infraestrutura é uma das oportunidades-chave oferecidas”, afirmou.

O secretário considera que as medidas que o Governo Federal vem adotando para enfrentar as turbulências internacionais também ajudam a manter a atratividade. “A presidente Dilma está determinada a baixar a taxa básica de juros (Selic) e vem criando condições para que isso ocorra. Apoiamos esse tipo de medida, pois é fundamental para manter nossa economia mais ativa e atrativa”, argumentou.


Crise e Relação Brasil-EUA

Alfredo Cotit Neto acredita que o processo de recuperação econômica dos Estados Unidos não atingirá as relações comerciais com o Brasil e, em especial, com a cidade São Paulo.


“Os Estados Unidos continuam sendo nosso grande parceiro comercial independentemente dos movimentos atuais de aproximação com outros países. A capital paulista continua sendo a cidade sede das operações das mais importantes empresas americanas”, pontuou o secretário.