Eduardo Campos defende na Amcham renovação da política externa, sem amarras com o Mercosul

publicado 10/06/2014 15h15, última modificação 10/06/2014 15h15
São Paulo – Ex-governador de Pernambuco e pré-candidato do PSB participou hoje (10/06) da 2ª edição do Amcham nas Eleições
renovacao-foto01.jpg-6833.html

Dando prosseguimento ao ciclo de debates com presidenciáveis, a Amcham recebeu, hoje (10/06), o pré-candidato à Presidência do PSB e ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

No encontro, na sede da entidade em São Paulo, apresentou suas propostas para alavancar a competitividade e a produtividade da economia brasileira.  

Confira os principais pontos da 2ª edição do Ciclo de Debates Amcham com os Presidenciáveis:

“O Brasil precisa ter uma política externa de país e não de partido”

 “Não podemos ficar amarrados às velhas institucionalidades do século 20, como o Mercosul”

“O Brasil precisa avançar urgentemente em dois pontos: produtividade da economia e qualidade de vida da população"

"É hora de recuperar a confiança não só do mercado, mas da sociedade"

“Ambiente de negócios tem tudo a ver com a macrogovernança responsável, tem que definir de forma estratégica seus investimentos, ter compromisso com meta da inflação, com o BC independente”

“É preciso fazer com que a educação brasileira ganhe qualidade, só conseguimos avançar em quantidade”

“Hoje os brasileiros querem ser cidadãos e não vamos conseguir isso sem uma renovação política no sistema”

"A economia brasileira parou, nunca se cresceu tão pouco, perdemos conquistas”

"Os dirigentes das agências reguladoras, no meu governo, serão selecionados por headhunters, por critérios de competências e não políticos"