Empresários e especialistas falam sobre estratégias para alavancar a produtividade nacional

publicado 16/09/2016 16h26, última modificação 16/09/2016 16h26
São Paulo - Bernard Appy, Insper, GE, Embraer, Rede D’Or, Diageo, Sanofi, Sindipeças e Cummins participaram do encontro
seminario-produtividade-2254.html

A busca pela produtividade é um desafio para muitas empresas, ainda mais no atual cenário brasileiro. Discutindo possíveis reformas que aumentem a competitividade nacional no pós-impeachment, assim como os impasses do sistema tributário, empresários e especialistas estiveram reunidos hoje, 16/9, na Amcham em São Paulo para a edição 2016 do Seminário de Produtividade Brasileira.

Confira os destaques do evento:

André Luís de Castro Moura Duarte – Professor do Insper
“Recentemente alguns estudos têm falado que um dos grandes problemas dos países em desenvolvimento é o capital gerencial. Ou seja, estudos mostram que a nossa capacidade de gestão não é tão boa quanto a capacidade de gestão de outros países”.

“Empresas que usam as melhores práticas [de gestão] são mais produtivas, lucrativas, crescem mais, exportam mais, desenvolvem mais produtos e têm mais patentes”.

 

Painel I – Como alcançar a produtividade?

Francisco Soares – Vice-Presidente de Suprimentos e Manufatura da Embraer

“Você tem que pensar na competitividade do seu produto desde o dia 1. Você tem que integrar sua cadeia de abastecimento. A gente convida os nossos fornecedores para participar do desenvolvimento de novos produtos da Embraer desde o primeiro dia. A gente também integra todas as disciplinas no processo de desenvolvimento do produto. Também começamos a pensar no ciclo de vida completo do produto, ou seja, como ele pode ser fabricado, mantido e descartado desde o primeiro dia”.

Marcelo Pimenta – Diretor de Supply Chain da Diageo

“Todos nós sofremos no Brasil com os temas de infraestrutura e mercado de serviços logísticos, o que faz com que o nosso custo logístico seja um dos mais altos do mundo. E o custo de logística é algo fundamental para a produtividade do negócio. Nos últimos anos, graças ao uso de tecnologias e parceria com fornecedores, nós temos conseguido manter o nosso custo constante ou um pouco menor ao ano anterior. Com isso, nós damos uma significativa contribuição para a produtividade da companhia”.

Rosilane Purceti – Diretora de RH da Sanofi

“Um pouco diferente de que muitas farmacêuticas fizeram nos últimos anos, com convergência, foco e especialização, a Sanofi decidiu se multifuncionar e isso trouxe para nós uma dinâmica de gestão bastante distinta”.

 

Apresentação II – Tributação e Produtividade

Bernard Appy – Diretor do Centro de Cidadania Fiscal

“O Brasil, se não for o maior país em grau de litígio em contenciosos tributários do mundo, certamente é um dos maiores. Ter esse litígio decorre de vários motivos, os principais são a grande complexidade da legislação tributária do Brasil e o outro problema é o grau excessivo de constitucionalização de matérias tributárias. Esse grande litígio tem impactos importantes sobre investimentos e produtividade”.

 

Painel II – Produtividade – Diferencial para sustentabilidade do negócio

 Dan Ioschpe – Presidente do Conselho de Administração da Ioschpe-Maxion e Presidente do Sindipeças

“Nós não estamos competindo contra nós mesmos, nós estamos competindo contra todos os outros países. E a fuga dessa ideia de competitividade tem nos atrapalhado muito. Isso acaba entrado nas quatro paredes de qualquer uma das nossas empresas”

“Para indústrias como a nossa do setor automotivo, a produtividade não é uma opção, é uma prática mandatória. É uma competição global”.

 Luis Pasquotto – Presidente da Cummins

“Eu cheguei à conclusão de que no Brasil nós não temos uma cultura de produtividade. Nós acordamos no meio da noite com esse pesadelo.”

“Não dá para separar a externalidade da internalidade. A produtividade é como uma equipe esportiva, você pode ter os seus melhores atletas, - isso é a internalidade. É preciso ter os melhores atletas e as melhores ações, mas elas só funcionam se a equipe estiver integrada. E infelizmente, nós temos essa cultura no Brasil. Nós nos acostumamos a conviver com esse problema de produtividade”.

Rafael Santana – Presidente e CEO para a América Latina da GE

“A gente costuma falar o seguinte: Com todos os desafios [para a produtividade no Brasil], nós temos casos de sucesso. E quando a gente olha para casos de sucesso aqui, a gente se espelha nessas empresas. Eu diria que alguns elementos comuns fizeram com que as nossas ações se tornassem exemplos para o mundo inteiro.”