Empresas do Paraná priorizam salários e treinamento, aponta pesquisa Amcham

publicado 26/09/2014 11h37, última modificação 26/09/2014 11h37
Curitiba – Estudo ouviu 103 profissionais de RH do Estado e foi divulgado ontem (25/9) no CHRO Fórum
chro-forum-3403.html

Uma pesquisa realizada pela Câmara Americana de Comércio (Amcham) mostrou que os investimentos de recursos humanos das empresas no Paraná estão focados principalmente em remuneração e benefícios (32%) e em treinamento e desenvolvimento (24%). O levantamento ouviu 103 empresas do Estado das áreas de comércio, serviços e indústria na primeira quinzena de setembro. 

O segmento que mais prioriza remuneração e benefícios é o comércio (35,7%), seguido da indústria (33,3%) e serviços (30,4%). O setor de serviços é o que mais investe em treinamento (28,6%), seguido de indústria (21,2%) e comércio (14,3%). A pesquisa foi intitulada ‘’Gestão de Pessoas no Mercado Paranaense - Cultura, Clima e Performance’’ e divulgada ontem em Curitiba, no CHRO Fórum promovido pela entidade (confira aqui a apresentação completa).

A coordenadora regional da Amcham em Curitiba, Laise Dolinski, disse que as empresas estão com uma consciência mais forte em treinamento e desenvolvimento dos funcionários. 

O levantamento também apontou que os principais fatores de estímulo ao aumento e melhoria da produtividade são o estilo gerencial, que recebeu nota 4,6 em uma escala de 1 a 5, e a clareza das responsabilidades individuais (com nota 4,5), além da orientação para resultados (4,1) e da integração setorial e interpessoal (4,1). Segundo Laise, o estilo gerencial apontado no topo significa que as empresas dão importância para a qualidade da liderança que precisa entender o momento que a empresa está no mercado e passar isso para os funcionários. Segundo ela, ter uma boa liderança e saber o que cada um faz na empresa traz mais ganho de clientes, aumento de resultados, melhoria do portfólio de produtos e serviços, do atendimento ao cliente e, como consequência, aumento de faturamento. 

A pesquisa também apontou que a cultura que predomina nas empresas paranaenses é a familiar com 30% do total. Laise destacou que ainda há muitas empresas familiares no Estado que seguem a cultura dos fundadores, o que não é negativo. A cultura familiar predomina no comércio com 42,9%. "A cultura depende muito do objetivo da empresa", disse. O levantamento mostrou ainda que 15,5% das organizações têm a cultura voltada para o cliente/mercado, 14,6% são voltadas para pessoas, 14,6% para cultura tradicional e hierárquica, 7,8% têm cultura exigente com foco em resultado, e 7,8% têm foco na cultura criativa e inovadora. 

Os principais meios utilizados para promover e estimular o engajamento dos funcionários são comunicação interna (41%), clareza quanto aos objetivos (40%), treinamento de RH para gestores de equipe (39%) e reconhecimento salarial/pagamento por metas (35%). "É importante ter um objetivo para trabalhar e não um simples emprego. O funcionário quer crescer junto com a empresa. Isso traz mais engajamento e os empregados trabalham com foco", destacou. 

Os participantes da pesquisa também consideraram que os principais fatores de manutenção de um bom clima organizacional são o engajamento dos líderes com nota de 4,7 em uma escala de 1 a 5, reconhecimento (4,4), transparência 4,4, ambiente de aprendizagem (4,2) e ambiente acolhedor (4,1). 

Um dado preocupante da pesquisa é que o número de funcionários não está adequado, pois em algumas faltam pessoas em determinadas áreas (38%) ou tem excedentes (27%). Segundo Laise, nos locais que faltam empregados há piora da qualidade de vida no ambiente de trabalho, o que leva a uma maior dificuldade para atingir os resultados. Ela destacou que o importante é as empresas focarem na cultura organizacional, nos objetivos e no desenvolvimento de pessoas para atingirem resultados. 

A seguir, a íntegra da Pesquisa ‘’Gestão de Pessoas no Mercado Paranaense - Cultura, Clima e Performance’',  divulgada ontem no CHRO Fórum, promovido pela Amcham-Curitiba: