Energia: 64% da matriz brasileira é proveniente de usinas hidrelétricas

publicado 14/04/2014 15h45, última modificação 14/04/2014 15h45
Recife - Tendência, energia solar ainda custa caro no país, afirma Luiz Otávio da Koblitz Energia
usinas.jpg-8284.html

Segundo dados da  Agência Nacional de Energia Elétrica ( ANEEL),  64% da potência energética é proveniente das 196 usinas hidrelétricas e 28% é proveniente de usinas termelétricas.  Em paralelo, o Ministério de Minas e Energia indica que 42% da energia no mundo é proveniente do carvão. “ A tendência, infelizmente, é que esse número cresça”, constata Luiz Otávio Koblitz, durante exposição no Comitê Aberto de Energia na Amcham-Recife, em ( 24/3). (confira aqui a apresentação completa).

Sócio-fundador da Koblitz Energia, empresa nacional pioneira em energia renovável,o executivo não só explicou a existência de diversos tipos de termoelétricas, e sua alta contribuição na emissão de gases poluentes, como também apresentou a evolução da capacidade instalada por fonte de geração. “Até 2022 o consumo de energia aumentará 44% e os reservatórios apenas 2%. Piorando ainda mais, a capacidade de regulação de Belo Monte.

Para finalizar, Luiz Otávio comentou que 27% do consumo de energia no Brasil são nas residências. Em relação ao uso de fontes alternativas, acrescentou que no futuro a energia solar será a mais utilizada, porém atualmente o momento não é o mais indicado para grandes investimentos nessa fonte em nosso país. A seguir, a íntegra da apresentação de Luiz Otávio Koblitz no Comitê Aberto de Energia, realizado na Amcham-Recife, em ( 24/3):