Fabricantes, hospitais e Anvisa falam dos desafios ao desenvolvimento da cadeia de saúde

publicado 20/03/2014 15h08, última modificação 20/03/2014 15h08
São Paulo – Evento reuniu 135 executivos de um setor que movimenta 10% do PIB
competitividade-saude-8209.html

O seminário Competitividade Setorial – Saúde, da Amcham – São Paulo, reuniu na quinta-feira (20/3) 135 executivos do setor para debater os desafios e oportunidades de um segmento econômico que gastou o equivalente a 10% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2013, ou R$ 484 bilhões.

O debate contou com a participação de dirigentes da MSD, Siemens Healthcare, Becton-Dickinson (BD), os hospitais Albert Einstein e Sírio-Libanês, GV-Saúde e Capital Invest. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), responsável pela regulação do setor, também esteve presente. Carlos Suslik, diretor de gestão em saúde da consultoria PwC, foi o mediador do evento.

Veja os destaques do encontro:

“Não é possível ter um setor de saúde competitivo sem desenvolvimento clínico, boa regulação e manufatura (indústria).” João Sanches, diretor de projetos estratégicos da MSD

“Hoje, o paciente faz pesquisa sobre o médico na internet. E escolhe aonde vai se internar não mais pela indicação do amigo, mas pelo desempenho hospitalar.” Claudio Schvartsman, vice-presidente do Hospital Albert Einstein

“A inovação e novas tecnologias têm que vir em ritmo acelerado, pois melhoram a eficiência do tratamento e qualidade de vida dos pacientes.” Fernando Narvaez, diretor da divisão de Imagem e Terapia da Siemens Healthcare

“O Brasil precisa de produtos inovadores e acesso à saúde. Não adianta ter novas tecnologias e investimentos, se o acesso (da população) é restrito.” Walban Damasceno, diretor de Assuntos Corporativos e Relações Governamentais da BD

“Temos que melhorar a gestão da saúde, a regulação e a eficiência do setor público.” Gonzalo Vecina Neto, superintendente corporativo do Hospital Sirio-Libanês

“Em saúde não se fala mais em eficiência, e sim em produtividade.” Ana Maria Malik, coordenadora da FGV Saúde – Centro de Estudos em Planejamento e Gestão da Saúde

“Os gastos com saúde aumentaram em 15%, incentivado pelo aumento de renda da população e a redução da taxa de desemprego.” Néstor Casado, CEO da Capital Invest – M&A Advisors 

“Segurança regulatória não se traduz apenas em produtos com qualidade e eficácia comprovada. Também é preciso manter a Anvisa aberta a modernizações.” Renato Porto, diretor de regulação da Agência Nacional Vigilância Sanitária (Anvisa)

 Veja abaixo a galeria de fotos: