Governo precisa oferecer mais garantias para acelerar projetos público-privados de infraestrutura

por andre_inohara — publicado 24/08/2011 17h52, última modificação 24/08/2011 17h52
André Inohara
São Paulo – É necessário criar mais linhas de financiamento de longo prazo, pois o BNDES, grande emprestador do segmento, não será capaz de atender a toda a demanda.
governo_corpo.jpg

A iniciativa privada demanda mais facilidades e garantias para investir em Parcerias Público-Privadas (PPPs). Para Renato Sucupira, sócio da área de Operações Estruturadas da gestora de investimentos Valora, as condições estritas de financiamento e retorno de projetos não são atraentes para boa parte dos investidores privados.

Existem projetos de infraestrutura em abundância, que poderiam ser executados se a burocracia e os riscos fossem diminuídos, de acordo com Sucupira.

Veja a entrevista do gestor ao site da Amcham, concedida após o ele participar do seminário "Competitividade Brasil – Custos de Transação/ Infraestrutura" na terça-feira (23/08) na Amcham-São Paulo:

Amcham: Como atrair mais a iniciativa privada para os projetos de PPP?
Renato Sucupira:
Primeiro, há a questão da transparência. O governo tem de dar os passos para que os processos licitatórios sejam mais bem definidos e claros, além de trazer o nível de risco para patamares mais aceitáveis pelo setor privado. A definição das regras é básica para tudo, seja para o setor público ou o privado. Há uma quantidade enorme de projetos em infraestrutura porque a necessidade de investimento é grande. O setor privado se sentirá mais atraído por processos licitatórios mais ágeis e com mais garantias, nos quais o governo diga quais projetos serão prioritários. Nenhum investidor privado entrará sem retorno.

Amcham: Há quem diga que o investimento é farto, e só não se concretiza por falta de bons projetos. O sr. concorda?
Renato Sucupira:
Não, porque existem projetos bons e em grande quantidade aguardando financiamento. Acontece que não é fácil viabilizá-los por causa da questão do funding (financiamento). Pode-se dizer que existe funding externo disponível, mas não se investirá em infraestrutura captando no exterior e tendo receita somente em real porque isso geraria descasamento cambial. É só verificar o déficit de infraestrutura no Brasil e perceber que é preciso investir mais que o triplo do montante atual. Projetos existem, e eles são muitos. Implementá-los é que é o problema. É necessário ter estruturas confiáveis de funding e garantias.

Amcham: Então, o que é preciso para aumentar as linhas de financiamento de longo prazo?
Renato Sucupira:
Já existem algumas linhas de funding, além das do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), mas elas são poucas e o BNDES ainda tem importância fundamental pelo grande volume de financiamento, baixo custo e poder que  exerce sobre seus devedores, para que não haja inadimplência. Se fosse possível acoplar todas essas linhas e dar acesso facilitado ao setor privado a um custo médio atrativo, haveria atração de  mais interessados, mesmo porque o BNDES não tem capacidade para atender a todos os projetos que existem.