Mão visível: como o governo vem apoiando o setor produtivo durante o coronavírus

publicado 08/05/2020 17h21, última modificação 08/05/2020 17h21
Brasil – Reorganização e diálogo com a iniciativa privada são algumas das ações tomadas pela secretaria responsável pelo tema no Ministério da Economia
Sepec iniciou um processo de diálogo com o setor produtivo que captou 2.240 contribuições recebidas de entidades representativas.jpg

Sepec iniciou um processo de diálogo com o setor produtivo que captou 2.240 contribuições recebidas de entidades representativas

Entre as prioridades do governo durante a pandemia do coronavírus, sustentar a economia está entre as principais. Para isso, é preciso dar 'uma mãozinha' à mão invisível do mercado e apoiar o setor produtivo com medidas de crédito e tributárias, por exemplo. “Dividimos as nossas ações em vários itens: medidas tributárias, regulatórias, de crédito, trabalhistas, orçamentárias, de comércio exterior, de seguridade”, afirma Carlos da Costa, Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec) do Ministério da Economia.

Além da divisão de ações, a Sepec iniciou um processo de diálogo com o setor produtivo que captou 2.240 contribuições recebidas de entidades representativas. Assim, segundo o secretário, todas essas demandas são tratadas, acompanhadas e já se transformaram em 314 ações (algumas das ações envolvem várias contribuições). “Hoje, temos implementadas 50% das contribuições nas nossas políticas e algumas não conseguiremos ancorar por não estarem de acordo com protocolos ou não serem diretamente relacionadas à Covid”, explica.

Além disso, a secretaria foi reorganizada em 12 forças-tarefa e a primeira é a gestão de contribuição do setor produtivo. Para isso, foram divididas as equipes e cada associação hoje tem seu account manager, liderados por gerentes setoriais. “Criamos um sistema novo com aplicativo de celular que toda a equipe tem para acompanhar cada demanda de cada setor”, acresenta Carlos, que participou do nosso webinar ‘Medidas de apoio ao setor produtivo durante a Covid-19’, no dia 04/05.

 

CRÉDITO

Dentre as medidas mencionadas pelo secretário, as relacionadas ao crédito são, na visão dele, as mais prementes e estão sendo as últimas a serem anunciadas. “Para micro e pequenas empresas, estamos trabalhando agora com o Congresso para sanção do PL que criou o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), no qual iremos dedicar 15 bilhões de reais”, menciona.

Ele lembra também que logo no início da pandemia no Brasil, o BNDES liberou 5 bilhões de reais – dentre outras iniciativas – mas os grandes fundos estão sendo constituídos agora. “O Fundo Garantidor de Operações (FGO), do Pronampe, vai levar, só de garantias do governo, 15 bilhões de reais e estamos concluindo agora uma MP do Fundo Garantidor para Investimentos (FGI), do BNDES, para as médias empresas, que também contará com um valor que ainda será divulgado e alavancará empresas com faturamento até 300 milhões de reais”, esclarece Carlos.

 

PRIORIDADES

Antes mesmo das medidas de apoio ao setor produtivo, o secretário enfatiza que o foco inicial da pandemia foi para a saúde: “Não pode faltar dinheiro”. Ele conta que foi montada força-tarefa na Sepec para ventiladores pulmonares, passando de 1250 de ventiladores produzidos no Brasil por semana. “Nosso primeiro foco é a saúde e o segundo é garantir que os mais vulneráveis fossem protegidos”, lembra.

Por fim, ele afirma que é importante dizer que o governo tem trabalhado muito com uma equipe bastante dedicada. Assim, até agora, as solicitações da iniciativa privada vêm sendo usadas também para o plano de retomada. “Nosso próximo passo, que já está sendo desenhado, são as medidas de retomada”, conclui.  

 

MÃOS UNIDAS

Sabendo da necessidade de união, tanto da própria iniciativa privada como um todo quanto do setor produtivo com o poder público, lançamos, no dia 15 de março, o Movimento Soma. Trata-se de uma plataforma que une soluções empresariais que buscam preservar vidas, empregos e negócios. Em três semanas, já promovemos e divulgamos mais de 68 ações e soluções no combate aos avanços do coronavírus no Brasil.

Clique aqui e acesse a plataforma.

 

O QUE SÃO OS WEBINÁRIOS?

São transmissões ao vivo de bate-papos e entrevistas, exclusivos online, sobre diversos assuntos do mundo empresarial. Diante da atual situação com a COVID-19 no Brasil, transformamos os encontros presenciais em atividades digitais e webinários.

PARA QUEM SÃO E COMO FUNCIONAM?

Os webinários especiais sobre a Covid-19 são públicos, totalmente gratuitos e podem ser acessados pelo link amchambrasil.com.br/aovivo.