Meirelles: "Ajuste compreende contenção permanente e gradual dos gastos"

publicado 21/10/2016 16h21, última modificação 21/10/2016 16h21
São Paulo - Henrique Meirelles (Fazenda), Gilmar Mendes (STF) , Dyogo Oliveira (Planejamento) e Eliseu Padilha (Casa Civil) no Seminário Amcham e Abdib. Confira os destaques.
ministro-meirelles-878.html

A AMCHAM e a Abdib promoveram na sexta-feira (21/10) o Seminário Soluções para a Expansão da Infraestrutura no Brasil, debatendo propostas para remover os entraves que retardam investimentos em infraestrutura. O evento foi realizado no Hotel Transamérica, na Av. das Nações Unidas 18.591 – São Paulo.

Mais de 700 pessoas participaram do Seminário promovido em parceria pela  Amcham e Abdib. Entre as autoridades que palestraram, os ministos Henrique Meirelles (Fazenda), Gilmar Mendes (STF) , Dyogo Oliveira (Planejamento), Eliseu Padilha (Casa Civil) e José Serra (Relações Exteriores). 

Confira os destaques: 

Dyogo Oliveira, Planejamento:

"Apesar das restrições impostas pelo ajuste fiscal, o governo estima investir R$ 110 bilhões no triênio 2016-2018 em infraestrutura. Desse total, R$ 38 bilhões são previstos para a área de logística, R$ 54 bilhões em saneamento e habitações e outros R$ 18 bilhões na área da defesa"

Henrique Meirelles, Fazenda:

"A aprovação da PEC já tem efeito positivo na percepção de agentes econômicos”

"Ajuste compreende contenção permanente e gradual dos gastos"

Eliseu Padilha, Casa Civil:

“Hoje temos confiança absoluta de que vamos ter mais de 308 votos [necessários na Câmara] para aprovação da PEC dos Gastos”

Gilmar Mendes, STF

"Estamos vivendo no âmbito político-eleitoral uma realidade de caos, verdadeiro caos. Nós temos que fazer uma reforma"