Mercado de terceirização de serviços financeiros está aquecido no País

por daniela publicado 22/06/2011 14h51, última modificação 22/06/2011 14h51
São Paulo - Complexidade tributária e adequação ao padrão internacional de contabilidade são impulsionadores, destaca João Mauricio Gumiero, sócio da Deloitte.

O mercado de terceirização de serviços financeiros está aquecido no Brasil. Empresas têm fechado esse tipo de contrato diante de um quadro de complexidade tributária e, nos caso especificamente das grandes, também pela necessidade de adequação ao novo padrão contábil International Reporting Financial Standards (IFRS).  Essa tendência é verificada por João Mauricio Gumiero, sócio da área de Outsourcing da Deloitte.

“Ao terceirizarem, as empresas estão buscando pessoas especializadas para lidar com a complexidade fiscal e contábil, assim como acesso a sistemas e softwares com upgrades necessários. Geralmente, o que se verifica é uma redução de custos com mão de obra e infraestrutura”, disse Gumiero, que participou do comitê de Finanças da Amcham-São Paulo em 09/06.

Dentre as atividades que costumam ser terceirizadas com maior frequência estão: folhas de pagamentos, demonstrativos contábeis e livros fiscais. As notas fiscais eletrônicas causaram uma grande procura das pequenas e médias empresas junto às prestadoras de serviços financeiros, sobretudo por conta dos investimentos que teriam que realizar em tecnologia da informação (TI). “O Fisco pede alterações no sistema a cada dois meses”, completou.

Enquanto as grandes têm preferido partir para o co-sourcing, terceirizando parte das atividades financeiras e realizando o restante com equipe e tecnologias próprias, as de menor porte apostam no full outsourcing, delegando todo o escopo a terceiras.


Questionado sobre a segurança de informações, Gumiero destacou que se deve buscar uma prestadora idônea, com certificações. É válido, inclusive, pesquisar os dados com usuárias no mercado.  O outro passo relevante é combinar nos contratos todas as obrigações com muita atenção.