Nordeste possui maior capacidade de geração de energia eólica no Brasil

publicado 19/11/2013 10h54, última modificação 19/11/2013 10h54
Recife - Secretário de Planejamento do Ministério de Minas e Energia palestrou no Comitê de Energia da Amcham
energia-foto01.jpg-1326.html
O Nordeste compõe 83% da capacidade de geração de energia eólica do Brasil, segundo investimento mais barato do mundo – só fica atrás das hidroelétricas de grande porte. As informações são do secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia (MME), Altino Ventura Filho. “Apesar de recente, é a fonte que mais cresce no país. É também a mais limpa, além de ter um alto nível de competitividade”, apontou ele.
 
O secretário, que esteve presente no Comitê de Energia da Amcham-Recife, realizado na quinta-feira (14/11), abordou o tema "O impacto das eólicas no sistema elétrico brasileiro e do Nordeste" apresentando números nacionais e mundiais de oferta de energia. No Brasil, 39,2% da matriz de energia vem do petróleo, seguida pela oferta do carvão mineral (5,4%). No mundo, a oferta de energia do petróleo e derivados também fica em primeiro (32%), contra 28% do carvão.
 
Só estamos aumentando a emissão de CO2, quando deveríamos diminuir”, explicou o secretário, ressaltando que, apesar de abundante, o carvão mineral é uma das fontes mais poluentes.  “Atualmente, a oferta de energia do carvão mineral no mundo cresce 45% ao ano”.
 
A capacidade de geração de fonte eólica no país chegou a 9914 MW no ano passado, sendo o Nordeste responsável pela produção de 8198 MW. “Em 2012, a capacidade eólica instalada no Brasil era de 1805 MW (1,5% matriz). A previsão é que, em 2022, esse número aumente para 17463 MW (9,5% da matriz)”, apontou Altino.
 
Relativamente nova no Brasil – o Leilão de Reserva foi realizado em 2009 –, em termos de capacidade, a energia eólica  maior capacidade ofertada. “O MME investe na oferta de energia eólica e apóia as indústrias que se interessam em consumi-la e ampliá-la”, comentou. “Temos tecnologia nacional para desenvolver nossas fontes eólicas, principalmente no Nordeste. As vantagens do uso da fonte para as empresas são inúmeras: renovável, emite pouco CO2, limpa e possui os menores custos de geração”.