Parceria Público-Privada é caminho importante para eliminar gargalos de logística internacional

por giovanna publicado 26/09/2011 11h43, última modificação 26/09/2011 11h43
Curitiba – Conforme Fabíola Franzener, professora das Faculdades Estácio, investimentos na área não são obrigação exclusiva do governo.

As Parcerias Público-Privadas (PPPs) são uma saída importante para os gargalos de logística voltada ao comércio exterior do Brasil, avalia Fabíola Franzener, professora de Logística Internacional das Faculdades Estácio e Tuiuti. Ela defende que as questões de infraestrutura não devem ser encaradas como obrigações únicas do governo, ainda que este venha ampliando investimentos na área nos últimos anos, notadamente em rodovias.

“O cenário de logística internacional brasileiro ainda é bastante modesto quando comparado ao cenário mundial. É necessário continuar investindo muito nessa área”, afirmou Fabíola, que participou do comitê de Comércio Exterior da Amcham-Curitiba na quinta-feira (22/09).

Bons exemplos em termos de PPPs, segundo a professora, são os portos de Paranaguá, no Paraná, e Itapoá, em Santa Catarina.

Ela também defende parcerias entre companhias. “As empresas devem trabalhar em conjunto, fomentando o compartilhamento de informações, para uma maior especialização e eficácia no setor”, disse.  Outras recomendações são maior profissionalização da área, com contratação de profissionais especializados em logística pelas companhias.

Fabíola ainda destacou o crescimento e a profissionalização das empresas de logística no País. Na avaliação da professora, o desenvolvimento de tais companhias atende a uma demanda não só estadual como nacional.