Pernambuco investe mais de R$ 600 milhões em mobilidade para Suape

publicado 17/02/2014 09h41, última modificação 17/02/2014 09h41
Recife - Secretário de Desenvolvimento Econômico Estadual detalhou investimentos na Amcham
marcio-stefanni-8578.html

Âncora e principal porta de entrada de investimentos econômicos para Pernambuco, o Porto de Suape, localizado no Litoral Sul do Estado, mobilizou, em apenas seis anos, mais de R$ 600 milhões, só em acessibilidade. “Entre 2007 e 2013, Suape recebeu dois bilhões em investimento, sendo mobilidade, sem dúvidas, um dos focos. Os exemplos são as reformas na Estrada da Batalha, em Jaboatão dos Guararapes, e a construção da Via Expressa”, comentou Márcio Stefanni, secretário de desenvolvimento econômico do Governo do Estado e presidente do Complexo Industrial Portuário de Suape, destacando também a duplicação da PE-60, no Cabo de Santo Agostinho.

 Atualmente, acesso é um dos gargalos do Estado impostos ao Porto de Suape, que recebe mais de 25 mil trabalhadores todos os dias e já atraiu 70 empresas desde 2007. Atualmente, políticas públicas voltadas para o planejamento urbano e mobilidade, que já estão em vigor, são tratados como fundamentais para o desenvolvimento de Suape, que é destaque como centro logístico do Nordeste e complexo industrial.

 Stefanni participou, na quinta-feira (13/02), do Comitê Estratégico de Business Affairs da Amcham-Recife, que teve como tema Rumos do Desenvolvimento Econômico de Pernambuco: uma visão estratégica. Durante o encontro, o secretário explanou sobre os investimentos que Suape vem recebendo desde 2007, quando foi traçado o plano estratégico de desenvolvimento envolvendo o complexo. “Nossa grande estratégia de desenvolvimento para Pernambuco é o Porto de Suape, por isso os investimentos públicos”, explicou o secretário.

A Refinaria Abreu e Lima, Petroquímica de Suape, Polo Naval, indústrias de alimentos e Porto Digital também foram apresentadas como estratégias de desenvolvimento econômico do estado. “Já estamos começando a colher os frutos. A Fiat deve começar suas atividades em 2014 e, enquanto isso, temos resultados positivos com as cervejarias, petroquímica e indústria de transformação”, completou Stefanni.