Pesquisa da Amcham revela que empresários veem modal aéreo como alternativa para contornar deficiências logísticas

por giovanna publicado 13/06/2011 18h04, última modificação 13/06/2011 18h04
São Paulo – Mais da metade dos consultados acredita em aproveitamento para transporte de cargas da infraestrutura que está sendo planejada para Copa e Olimpíadas.

Empresários, executivos e gestores da cadeia logística ouvidos em pesquisa da Amcham são unânimes (100%) na avaliação de que o modal aéreo é uma alternativa importante para enfrentar, ao menos parcialmente, as deficiências logísticas do País, que comprometem as mais diversas formas de transporte de produtos.

O clima de otimismo do empresariado também é detectado com relação a um possível aproveitamento para transporte de cargas da infraestrutura aeroportuária que está sendo planejada para Copa e Olimpíadas. Mais da metade (62%) dos consultados acredita que isso será viável e 29% enxergam essa oportunidade pelo menos de modo parcial.

O levantamento, realizado com 21 representantes do segmento durante comitê de Logística da Amcham-São Paulo no último dia 17/05, identificou também a visão do empresariado de logística em relação à aplicabilidade do transporte aéreo de cargas para os variados tipos de produtos. Para uma parcela de 57% dos entrevistados, trata-se de uma forma de transporte válida apenas para cargas de baixo volume, alto valor agregado ou que necessite de rapidez na entrega. Os outros 43% avaliam que essa é uma alternativa viável para qualquer mercadoria. 

Os consultados ainda sinalizaram pontos que, em sua visão, são os principais gargalos presentes hoje no transporte aéreo de cargas no País: estrutura administrativa burocrática dos órgãos envolvidos no processo (89%); baixa disponibilidade de espaços e alto custo de armazenagem de cargas em aeroportos (64%); elevados custos em relação a outras modalidades logísticas (49); insuficiência e concentração geográfica dos aeroportos (40%); e baixa interação com outras modalidades logísticas (35%).