Prósper Corretora: PIB crescerá 7,85% em 2010 e 5,5% em 2011

por agrimaldo — publicado 31/10/2010 14h32, última modificação 31/10/2010 14h32
São Paulo - Entretanto, reformas são necessárias para desempenho sustentável em médio e longo prazos.

A economia brasileira deverá ter uma expansão de 7,85% em 2010 e de 5,5% em 2011, segundo projeções de Eduardo Velho, economista-chefe da  Prósper Corretora.


Ele avalia que, no próximo ano, diversos aspectos conjunturais continuarão positivos, assegurando o desempenho positivo do Produto Interno Bruto (PIB). O crescimento será puxado pela dinâmica do mercado interno, considerando mercado de trabalho em expansão contínua tanto em termos de empregos quanto de salário real, além de um cenário de ampliação do crédito. Outro ponto importante é que os países emergentes, incluindo o Brasil, seguirão como foco de investimentos. 


Apesar do cenário benigno, Velho ressalta que reformas estruturais serão fundamentais para sustentar o crescimento em médio e longo prazos. O principal desafio é o ajuste fiscal.


"O próximo governo deve realizar reformas importantes para aumentar as taxas de poupança e investimento dos setores público e privado. O ajuste fiscal deve ser feito porque em 2009 e 2010 foi pífio. O superávit primário ficará neste ano perto da meta em função de  manobras contábeis. Os gastos correntes do governo devem ser estancados em vez de acelerados, condição para reduzir juros", disse Velho, que participou nesta terça-feira (19/10) do comitê de Compras Corporativas da Amcham - São Paulo.


Ele acrescentou que outra reforma necessária é a tributária. "Mas não acredito na aprovação no primeiro ano do próximo governo", pontuou.


A lista de mudanças importantes, conforme o economista, inclui ainda o fortalecimento das agências reguladoras e a criação de novos mecanismos de financiamento de longo prazo visando um ambiente mais favorável aos investimentos em infraestrutura. Segundo ele, o País não pode depender somente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), o que coloca a necessidade de outros canais e produtos diferenciados.


Taxa de juros

 

A Prósper Corretora prevê que a taxa Selic permanecerá em 10,75% ao ano até o final de 2010. Para 2011, há tendência de elevação. 


"Vemos um aumento nas commodities mais forte do que no cenário do Banco Central. Em linha com isso, a inflação de setembro e outubro ficou acima do previsto e, até dezembro, deve ser em média de 0,40% por mês. Assim, entraremos em 2011 com inflação de mais de 5%, acima do centro da meta de 4,5%. Em algum momento, o BC terá de atuar. Uma elevação de um ponto porcentual pode começar já no primeiro trimestre devido às commodities e à demanda interna", explicou Eduardo Velho.

 

Câmbio

 

O comportamento do real, segundo o economista, não está sendo uma surpresa no cenário global.  Enquanto Estados Unidos, Europa e Japão apresentam tímido crescimento econômico e baixas taxas de juros, os países emergentes - Brasil, China, Chile, México e alguns países do Sudeste Asiático, entre outros, apresentam avanços significativos nas economias e juros altos, o que os tornam atrativos aos investimentos.

"Essa valorização do real em relação a moedas que foram tipicamente mais fortes, como o dólar e o euro, deve continuar", disse Velho. A Prósper Corretora prevê que o real encerrará o ano na casa de US$ 1,70.