Tendências e desafios de competitividade do agronegócio pautaram seminário da Amcham

publicado 12/08/2014 14h54, última modificação 12/08/2014 14h54
São Paulo – Confira os principais destaques do encontro realizado, em 12/08, com a participação da DuPont, Embrapa, Louis Dreyfus, JBS e BRF
competitividade-agronegocio-3735.html

O avanço em competitividade da produção agrícola foi o foco central do 2º seminário “Perspectivas para o Agronegócio” promovido pela Amcham na terça-feira (12/08) na sede da entidade em São Paulo.

Confira os principais destaques do seminário que reuniu DuPont, Embrapa, Louis Dreyfus, Mãe Terra, JBS, BRF, entre outros:

 “O Brasil produz 10 bilhões de toneladas de carne bovina e exporta 20%. A demanda é crescente e, neste contexto, o investimento em sustentabilidade da cadeia é fundamental”, Jerry O’Callaghan, diretor de Relações com Investidores da JBS

 “Ninguém tem dúvida do sucesso que o Brasil alcançou na área de pesquisa e desenvolvimento agrícola. Hoje, o desafio encontra-se fora das fazendas, onde a competitividade vai se deteriorando nos processos de escoamento e distribuição”, Marcos Jank, diretor-global de Assuntos Corporativos da BRF

 “Temos produtividade agrícola, mas não  temos infraestrutura competitiva para chegar nos mercados globais” Adrian Isman, presidente da Louis Dreyfus Commodites Brasil

 “O Brasil é o maior produtor global de café e a Alemanha, mesmo sem produzir nenhum grão, é a maior exportadora em valor financeiro. Precisamos investir na questão mercadológica”, João Carlos Hopp, diretor comercial da Fazenda Bela Vista

 “É preciso acabar com a tradição que a produção agrícola saudável/orgânica fica restrita a classe A. Precisamos investir em musculatura e volume. O consumo saudável é um caminho sem volta e precisamos nos posicionar neste mercado”, Alexandre Borges, presidente da Mãe Terra

 “Nos próximos 10 anos, o Brasil vai ter que crescer 40% em produção para atender a demanda mundial”, Mário Tenerelli, vice-presidente de Produção de Cultivos da DuPont

“A Embrapa conta hoje com rede de 2.500 pesquisadores, laboratórios modernos e com orçamento de US$ 1 bilhão. Precisamos avançar em investimento em inovação agrícola no setor privado. Mais de 70% das ações vem da esfera pública", Elisio Contini, pesquisador da Embrapa

"Segurança alimentar existe quando as pessoas têm acesso físico, econômico e social aos alimentos”, Ricardo Vellutini, presidente da DuPont Brasil