“Back to the basics” para redirecionar o marketing

publicado 16/07/2015 14h05, última modificação 16/07/2015 14h05
São Paulo – Com tantos recursos e mudanças na gestão, área deve retomar sua função, diz Licínio Motta
licinio-motta-144.html

Diretor geral da pós-graduação da ESPM e da ESPM Consulting, Licínio Motta é direto ao responder o que será do marketing depois de tanta novidade de recursos e de gestão que acabou espalhando funções da área para outros departamentos. “É back to the basics”, brinca, ao resgatar o sentido da especialidade, durante o comitê estratégico de Marketing da Amcham – São Paulo, quarta-feira (15/07).

“Marketing nada mais é do que entender e atender ao consumidor”, diz, citando frase do professor Raimar Richers.

Motta reforça o conceito em meio às discussões do próprio mercado de qual o futuro do marketing, uma vez que a tecnologia mudou rapidamente a área, inundando-a de dados e obrigando-a à presença digital massiva. Para o professor, trata-se de uma questão sem cabimento, já que outros departamentos também passaram por revoluções. “Alguém pergunta se Finanças ou TI vão acabar?”, exemplifica.

Em relação à enxurrada de dados que o mundo digital levantou sobre o departamento, não há motivos para pânico, diz o professor. “Não faltam dados, mas sim inteligência para transformar essa informação em uso, em estratégia,” diz.

Com isso, o marketing pulsa e irradia tais estratégias para toda a organização, perpassando as demais áreas, em B2C ou em B2B - em ambos os casos, o mercado é feito de gente, ressalta Motta. “E mercado é gente com dinheiro no bolso para gastar. O desafio é fazer o que ele quer e precisa, gerando resultado para a empresa”, adverte.

As mudanças e a velocidade em que elas vêm ocorrendo ainda vão continuar. E cada vez mais com gerações diferentes convivendo e dividindo os mesmos serviços e produtos. À sombra de tantas e diversas evidências, o conceito de marketing deve estar sempre claro, guiando as ações. “Deve-se ver a experiência do cliente”, conclui.

registrado em: