“É preciso fazer o empregado notar os benefícios não só imediatos”, diz especialista

publicado 08/07/2015 10h09, última modificação 08/07/2015 10h09
Recife - Em evento da Amcham, gerente de RH da Dow Brasil falou sobre a importância dos planos de carreira e de benefícios nas companhias
raimundo-santos-5064.html

O desenvolvimento de planos de carreiras e benefícios para os funcionários gera custos que são sobretudo um investimento. Essa é a análise que faz o gestor de recursos humanos e relações trabalhistas da Dow Brasil, Raimundo Santos. Em palestra realizada na manhã do dia 30/7, na Amcham Recife, durante o comitê Estratégico de Gestão de Pessoas, o gestor falou da importância dos pacotes de benefícios para a retenção de talentos e aumento de produtividade das companhias.

De acordo com Santos, planos de carreira e de benefícios podem ser utilizados por qualquer empresa, independente do porte. “Evidentemente, empresas menores vão ter que trabalhar com pacotes mais restritos, envolvendo apenas vantagens básicas, como seguro de vida e assistência média, por exemplo”,  diz. “Já empresas maiores podem ampliar essa gama, e, consequentemente, ter mais condições de atrair e reter mão-de-obra qualificada.”

Entre os benefícios extra que muitas empresas têm adotado como forma de retenção de talento ele destaca a oferta de ações da empresa com desconto em relação aos preços praticados no mercado, previdência privada, reembolso de medicamentos e programas de assistência aos empregados.  “É preciso fazer o empregado notar os benefícios não só imediatos (que seria o salário no fim do mês), mas também os de longo prazo, como a existência de um plano de previdência.”

O gerente destaca que os planos de cargos e carreiras devem se balizar de acordo com critérios específicos, envolvendo a ampliação do conhecimento, o desempenho, a aquisição de conhecimentos e a experiência. Ele ressalva contudo que, à medida que o organograma afunila, a promoção passa a depender da existência de vagas para os níveis de gerência e diretoria, que são limitadas. “Logo, se torna necessário que as empresas descubram maneiras de reter esses funcionários experientes, seja por meio de reconhecimento, seja por meio de investimento em sua qualificação”, pontua.

registrado em: