Ambiente de trabalho flexível contribui para aumento da produtividade, dizem especialistas

por lays_shiromaru — publicado 25/06/2014 10h48, última modificação 25/06/2014 10h48
São Paulo – Líderes de gestão de pessoas falam sobre novos formatos de trabalho para aumentar a produtividade individual
mauricio-froes-guidi-1037.html

A flexibilidade no ambiente de trabalho é uma tendência que tem contribuído para o aumento da produtividade dos colaboradores, de acordo com Mauricio Froes Guidi, sócio do Pinheiro Neto Advogados, que esteve na Amcham na última terça-feira (24/06) em palestra ao comitê de Gestão de Pessoas.

Guidi conta que as alterações nas relações de trabalho estão impulsionando o surgimento de novos modelos de negócios, em que os colaboradores trabalham remotamente, contornando eventuais dificuldades com a mobilidade urbana, e têm mais liberdade para desenhar suas próprias carreiras.

“As leis trabalhistas foram criadas para uma realidade industrial, que não existe mais, com o pensamento de que um único modelo serve para todos os colaboradores”, disse, ressaltando a importância de rever e atualizar a legislação.

Sandra Gioffi, diretora de Talent & Organization da Accenture e palestrante no comitê da Amcham (confira aqui a apresentação completa), também defende que a flexibilidade no trabalho pode contribuir para o aumento da produtividade. Uma pesquisa realizada pela consultoria mostrou que os funcionários acreditam ser mais produtivos com a customização de itens como local e horário de trabalho, benefícios, plano de carreira e responsabilidades, entre outros.

Ela conta que há diversas abordagens de customização dentro das empresas. Uma delas é segmentar a força de trabalho, atribuindo práticas customizadas para grupos específicos, que podem ser divididos de acordo com suas preferências ou necessidades compartilhadas. Outra é oferecer opções modulares, permitindo, por exemplo, que o colaborador escolha o local onde vai trabalhar, controle seu tempo, participe de treinamentos que sejam de seu interesse. “É importante que os funcionários corram atrás do que é de fato interessante para eles”, diz.

Além disso, outra abordagem é criar regras simples, abrangentes e com limites claros, para que possam ser interpretadas de maneira flexível. Definir resultados e não locais e horários de trabalho ou basear as promoções na contribuição ao negócio e não no tempo de casa são exemplos de maneiras para impulsionar a produtividade do indivíduo.

“As empresas podem optar por diferentes maneiras de customização, mas no final todas alcançarão comprometimento dos funcionários, aumento da produtividade, reputação de boa empregadora, retenção de talentos e resultados de negócios”, afirma.

Sandra ressalta, no entanto, que é preciso maturidade na relação entre empresa e colaborador para que a customização seja eficiente. “Para aquelas que querem dar um primeiro passo na customização da força de trabalho, recomendo benchmarking com as empresas que já estão colocando isso em prática”, aconselha. Entre os principais desafios da customização, ela destaca a imparcialidade, a privacidade e o alinhamento com a estratégia de negócio. 

A seguir, a íntegra da apresentação de Sandra Gioffi, diretora de Talent & Organization da Accenture, no comitê de gestão de pessoas da Amcham-São Paulo, em 24/06:

 

 

 

registrado em: