Atrair a família é tendência para o mercado de parques de diversão compactos

por giovanna publicado 28/05/2012 12h00, última modificação 28/05/2012 12h00
Recife – Gestão de marca e investimentos no ambiente interno também são ações de destaque.
foto_marcela_marques.jpg

Oferecer uma estrutura de atrações que atinjam todas as faixas etárias e colocar em funcionamento constantemente novos equipamentos são as principais tendências para o mercado de parques de diversão compactos, na visão de Marcela Marques, gerente de Marketing da Rede Game Station.

Esses parques costumam ser instalados em locais como shopping centers, um dificultador em regiões ensolaradas, que naturalmente geram maior atratividade para atividades a céu aberto.

“No Nordeste, por exemplo, para vencer a preferência pelas praias, investimos em novas atrações e na construção de um ambiente que atraia toda a família para o parque” comentou Marcela, que participou do comitê de Small Business da Amcham-Recife na última terça-feira (23/05).

O conceito de Family Entertainment Center (FEC) é, de acordo com a executiva, a linha-mestra para esse tipo de negócio. “O núcleo familiar tem alto potencial de consumo. Quando se fala para esse público, dialoga-se com diferentes sexos e faixas etárias ao mesmo tempo”, explicou.

Marcela destaca ainda que, por ser um mercado fortemente influenciado pela sazonalidade dos períodos escolares, uma gestão consistente de marca é fundamental. “O vínculo emocional com a marca, neste caso, é essencial. Entretenimento e lazer são os primeiros itens a serem excluídos caso seja preciso enxugar o orçamento familiar”, analisa.

Game Station

Originária em Pernambuco, a Rede Game Station se prepara para entrar no mercado do Sudeste nos próximos anos. “Começaremos por Campinas e Rio de Janeiro, mas estamos em negociação com outras localidades na região”, contou Marcela.

Até o final de 2013 serão abertas novas sete unidades para se somarem às 13 em operação. De acordo com a executiva, cada unidade nova representa um investimento de R$ 1,5 a 2 milhões. “O grande desafio deste momento de expansão são as pessoas, construir uma nova equipe, e a gestão de uma unidade geograficamente distante”, destacou.

 

registrado em: