Avaliação de soft skills é tendência nas contratações em marketing e vendas

por lays_shiromaru — publicado 17/04/2014 15h43, última modificação 17/04/2014 15h43
São Paulo – Diretores da Dell e da Capgemini buscam profissionais que têm formação generalista e facilidade para se comunicar
avaliacao-foto01.jpg-8390.html

Nos setores de Marketing e Vendas, a procura por profissionais que tenham os chamados soft skills – isto é, competências pessoais que permitem mais interações com os outros colegas, e que podem ser úteis em qualquer área profissional – vem crescendo cada vez mais.

“Geralmente são pessoas que se comunicam com facilidade, têm uma formação generalista e são capazes de fazer qualquer coisa”, disse João Bortone, diretor de Marketing para América Latina da Dell, durante reunião conjunta dos comitês de Marketing e de Vendas da Amcham, em 11/04.

Ele conta que é fundamental para a empresa ter líderes que pensem no curto e no longo prazo. Em contratações, ele diz não deixar de analisar a capacidade de execução dos candidatos, mas busca priorizar a avaliação dos soft skills deles.

Na Capgemini, a situação se repete. Para Luiz Fernando Maluf, diretor comercial da empresa e também palestrante dos comitês da Amcham, “a avaliação de soft skills na contratação é tendência”. Outro fator que ele destaca é a busca por capacitação dos profissionais, que precisam se atualizar sobre as novas práticas em cada área.

De acordo com os dois diretores, a capacidade de se comunicar é uma chave para a integração entre os setores, que vem melhorando o desempenho das empresas. “O time de marketing, por exemplo, pode apontar caminhos, fazendo análises de mercado e mostrando qual negócio é lucrativo ou não, e a equipe de vendas faz a conversão dessas oportunidades em clientes”, diz Bortone.

Sócio da Equus Business Services e participante do comitê da Amcham, Eduardo Vecchi relembra que “não adianta a comunicação entre as equipes e o planejamento serem ótimos, se os times não conseguirem executar o trabalho”. Para ele, colaboração é a chave da eficiência, e a definição das metas é fundamental. “A integração e a comunicação funcionam apenas quando há alinhamento das ações e definições claras das metas”, conta.

registrado em: