BNDES adia prazos e aumenta parcelamentos para melhorar caixa das empresas durante a crise

publicado 25/02/2016 14h22, última modificação 25/02/2016 14h22
São Paulo – Banco destina 30% dos financiamentos para PMEs, detalhou Laura Mattos no Seminário Otimização Crédito e Dívida
seminario-otimizacao-da-estrutura-de-capital-e-divida-3676.html

Com o objetivo de fortalecer o caixa das empresas, o BNDES adotou algumas medidas que beneficiam especialmente as pequenas e médias empresas. Entre elas, o adiamento de até 12 parcelas do pagamento do principal, para o final do contrato, e ainda o parcelamento em até 24 vezes da dívida, mas com juros de mercado. A outra medida anunciada pela  chefe do departamento de Operações Estruturadas do BNDES, Laura Mattos, em palestra na Amcham- São Paulo, na quinta feira (25/2). Foi a ampliação do prazo de amortização do cartão para 60 meses. O cartão BNDES movimenta hoje um crédito total de R$ 57 bilhões, para 704 mil cartões emitidos.

O Banco destina cerca de 30% de seus financiamentos para micro, pequenas e médias empresas, em produtos como FGI (Fundo Garantidor para Investimentos), cartão de crédito e private equity (por meio do BNDESPAR). Os recursos podem ser requeridos  por meio de agentes financeiros credenciados, por organizações de todos os portes e setores.

“O banco vem aumentando os produtos voltados para micro, pequenas e médias empresas. Os desembolsos para esse público chegam a 30% do total”, comenta Laura . Ela apresentou o programa de crédito para PMEs durante o Seminário Otimização da Estrutura de Capital e Dívida da Amcham – São Paulo.

O evento também debateu como levantar capital e contração de dívidas em cenário de restrição de crédito.

Em 2015, segundo ela, o desembolso total do BNDES foi de R$ 136 bilhões, menor que os de 2014, de R$ 188 bilhões. “Os números de 2015 refletem a crise, mas pelas medidas emergenciais que estamos tomando, esperamos que neste ano seja maior”, declara.

Segundo Laura, as medidas visam dar fôlego ao caixa das empresas, com refinanciamento, giro, e apoio à aquisição e à exportação de bens de capital.

Perfil das empresas

Empresas que pleiteiam recursos do banco devem apresentar capacidade de pagamento, cadastro comercial satisfatório, estar em dia com obrigações fiscais e previdenciárias, não estar inadimplente com o BNDES nem em regime de recuperação de crédito, dispor de garantias para cobrir o risco da operação e cumprir a legislação ambiental.

No âmbito do BNDESPAR, organizações de todas as fases de crescimento podem se candidatar, desde as de capital semente (estágio inicial) até as maduras, de capital aberto ou fechado. “O BNDESPAR é sócio minoritário e transitório dos acionistas e normalmente participa da governança via conselho”, diz Laura.

Atualmente, o setor do BNDESPAR tem portfolio de 282 empresas de diversos setores, sendo 155 delas com investimentos diretos e 133 por meio de fundos. A carteira tem um valor de mercado estimado em R$ 65,3 bilhões.

O BNDESPAR atua com participação acionária, debêntures conversíveis e/ou atreladas a bônus de subscrição e fundos de investimentos, emissões privadas e públicas e co-investimento.

Ajuda de caixa  

No Seminário, Laura Mattos detalhou novas contribuições do BNDES para as empresas enfrentarem os desafios de 2016. A primeira focada em fortalecer o caixa das empresas, intitulada de Programa de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda (Progeren), baixa as taxas para financiamento de capital de giro e orçamento disponível de até 5 bilhões.

A segunda linha, também focada no fôlego de caixa, batizada de REFIN 2016, permite o refinanciamento de dívidas de empresas que fizeram empréstimos para compra de máquinas e equipamentos.  O programa prevê o adiamento de até 12 parcelas de pagamento do principal para pagamento no final do contrato em até 24 parcelas corrigidas pela Selic. O estoque potencial de operações que podem ser refinanciadas pode chegar a R$ 15 bilhões, segundo detalhou Mattos.

Confira aqui vídeo completo da apresentação de Laura Mattos, do BNDES, no Seminário da Amcham São Paulo.

Abaixo apresentação com detalhes das novas linhas de financiamento do banco em 2016:  

 

registrado em: