Boa experiência de uso faz da Amazon o principal buscador de produtos do público jovem nos EUA

publicado 18/10/2017 11h55, última modificação 19/10/2017 15h30
São Paulo – Para Luciana Castro (Adobe), oferecer comodidade é o que torna uma empresa relevante
Luciana Castro

Luciana Castro, da Adobe: geração millenial é mais receptiva a negócios disruptivos. Um exemplo seria o de serviços bancários oferecidos por uma rede social. Foto: Divulgação

Quando o assunto é pesquisa de produtos nos Estados Unidos, a Amazon é mais importante para os usuários do que buscadores como o Google ou o Bing, revela Luciana Castro, especialista em marketing digital da Adobe.

“A Amazon começou como plataforma de venda de livros, mas se transformou e ampliou a atuação do seu negócio. Ela desenvolveu formas de relacionamento com clientes que não existem nos sites de busca, e por isso é hoje a mais lembrada pelos usuários”, comenta, na reunião conjunta dos comitês estratégicos de Diretores Comerciais e Gestão de Vendas da Amcham – São Paulo na terça-feira (10/10).

Castro citou dados de uma pesquisa da Adobe que revela que a Amazon é o aplicativo que 55% dos usuários da Geração Y (nascidos depois da década de 1980) americana responderam que não poderiam viver sem. O motivo é que o público considera ser muito fácil comprar pelo aplicativo, segundo a especialista.

Além disso, a Amazon agregou funcionalidades para atrair anunciantes e vendedores. “Ela é, ao mesmo tempo, uma plataforma de comércio e mídia. A empresa dá crédito aos pequenos empresários que vendem por lá e também espaço a quem quiser anunciar seus produtos”, explica.

O que acontece nos Estados Unidos pode indicar uma tendência futura no Brasil, continua. “Esses estudos mostram uma grande oportunidade. Apesar das particularidades do mercado nacional, o que é feito nos EUA acaba chegando aqui um ou dois anos depois.”

Para Castro, o que torna uma empresa relevante ao cliente é uma boa experiência de venda. Ela está ligada à oferta de comodidades possibilitadas pelas tecnologias digitais. “Aplicativos como o Uber e AirBnB mudaram totalmente a expectativa do consumidor. Hoje, empresas que se tornaram experience business prosperam e crescem mais.”

Tecnologias digitais transformam negócios

Além de aumentar o grau de exigência dos consumidores, as tecnologias digitais redefiniram o conceito de concorrência, acrescenta a especialista. “O público mais novo espera que um banco, seguradora ou qualquer negócio com o qual interage entregue uma experiência semelhante ao de um aplicativo.”

Castro cita outra pesquisa, da Accenture, para mostrar o surgimento de oportunidades de negócios. De acordo com a consultoria, 60% dos consumidores brasileiros da Geração Y estão dispostos a usar redes sociais como o Google, Facebook ou a Amazon como instituição financeira.

“A grande mensagem que fica para as empresas é elas descobrirem quem é seu concorrente. Hoje, por exemplo, as montadoras enxergam o Uber como uma ameaça maior do que as demais fabricantes de carros”, comenta.