Chegada de empreendimentos de grande porte estimula melhora na gestão de processos de PMEs no Nordeste

por giovanna publicado 25/07/2011 10h59, última modificação 25/07/2011 10h59
Recife – Business Process Management é modelo que ajuda a obter diferenciação no mercado.
foto_sandra_camelo.jpg

A instalação de empreendimentos como a fábrica da Fiat e a Refinaria Abreu e Lima no Nordeste tem incentivado micro e pequenas empresas a aperfeiçoarem a gestão de seus processos.  Neste contexto, o Business Process Management (BPM), modelo de gestão que reestrutura processos, surge como diferencial para companhias locais, conforme explica Sandra Camelo, sócia-diretora da Innovo Group.

“Para ser fornecedor de uma empresa do porte da Fiat ou da refinaria é necessário mostrar uma gestão eficiente, com foco no cliente e com processos bem estruturados”, explicou Sandra, que participou do comitê de Small Business da Amcham-Recife na sexta-feira (22/07). O BPM busca elevar a eficiência das empresas, dando foco nos processos e na maneira como se refletem no atendimento ao cliente.

Os custos de implantação desse modelo de gestão ainda são altos, principalmente no caso de empresas com processos complexos, que incluam a participação de muitos departamentos. “O tempo que as companhias passam sem investir na melhoria de seus processos é muito grande, isso acumula os custos”, explicou Sandra.

Pontos trabalhados

Sandra Camelo detalhou os principais pontos trabalhados no BPM:


- Despersonalização: o processo não pode se confundir com uma pessoa. Ele deve ser suficientemente simples e difundido, de maneira que vários indivíduos possam executá-lo; caso contrário, acarretará mais custos sempre que um funcionário tiver que se afastar da empresa.
- Conhecimento: mesmo que cada pessoa seja responsável pela execução de apenas uma etapa do processo, é preciso que todas as partes envolvidas o conheçam como um todo.
- Curadoria: todo processo deve ter um responsável, alguém que cuide de sua execução e que possa responder pelos resultados positivos ou negativos que venham a ser alcançados.
- Métricas: é preciso ter métricas para avaliar todos os processos; do contrário, é impossível aferir sua eficiência e seus impactos dentro da companhia, além de detectar os pontos a serem aperfeiçoados.

De acordo com Sandra, a estruturação de processos, apesar de necessária, ainda é vista como burocracia dentro das companhias. “Repensar processos que são executados há muito tempo da mesma maneira pode causar resistência. Por isso, é importante que os líderes estejam alinhados com as ações de estruturação para trabalhar junto de suas equipes”, comentou ela.
 

registrado em: