Ciclo 2030 da Amcham – Porto Alegre trouxe perspectivas sobre o futuro das organizações

publicado 29/03/2018 15h26, última modificação 03/04/2018 08h08
Porto Alegre – Inovação, adaptação e capacidade de reflexão foram competências abordadas

De olho no futuro, as organizações têm que envolver as pessoas e tirar lições do passado, atestou Marcelo Madarasz, diretor de Recursos Humanos da Parker Hannifin. “Novos líderes têm que possibilitar um novo futuro enquanto estão lidando com o passado”, disse, na segunda edição do Ciclo 2030 da Amcham – Porto Alegre realizado em 27/3.

“As gestões do futuro precisam perceber o contexto global e olhar para as pessoas, para como se sentem diante dos desafios impostos”, acrescentou. Madarasz debateu o futuro das organizações ao lado de profissionais referência em suas áreas, como Luiz Serafim, diretor de inovação da 3M, Eduardo Rabboni, diretor de transformação digital da Algar Telecom, Miguel Andorffy,  CEO e fundador da startup Me Salva, e Cassio Bobsin, CEO da Zenvia e fundador da WOW Aceleradora.

Serafim trouxe a importância de as empresas trabalharem em rede e com colaboração aberta, dando oportunidade aos funcionários de empreender. Modelos de inovação fechados ficarão para trás, afirma. “Inovação é criar valor, impactar na vida humana.”

Focando em pessoas, Rabboni destacou a necessidade de os profissionais se reinventarem e desenvolver habilidades para atuar de forma competitiva em um cenário onde as tecnologias ditam as regras.

Personificando os exemplos sobre as mudanças impostas pela revolução tecnológica, Andorffy, do Me Salva, contou ao público como criou com pouco mais de 20 anos a plataforma que hoje computa quatro acessos por segundo, ajudando estudantes de todos os cantos do Brasil a estudar.

Em um exercício futurista, Bobsin convidou a plateia a uma viagem imaginária até o ano de 2030. Dentro de alguns anos, o especialista disse que não será impossível receber as compras em casa por meio de um robô que conhece os hábitos da sua família, assim como andar em um carro autônomo, utilizar criptomoedas e praticar esportes virtuais. “Exemplos que já estão ocorrendo ao redor do mundo. Onde há espaço para a mudança, ela acontece”, finalizou.

A próxima edição do Ciclo 2030 será realizada em dezembro.

registrado em: ,