Classe C quer produtos de acordo com estilo de vida próprio, destaca executivo da Grendene

por andre_inohara — publicado 23/02/2012 13h13, última modificação 23/02/2012 13h13
São Paulo – Varejo trabalha com conceito de estilo de vida, e não mais com faixa de renda.
andre_carvalho2.jpg

A classe C está mais exigente e quer consumir produtos de qualidade. No ramo de calçados, a Grendene está trabalhando com conceitos de estilo de vida, em vez de faixa de preços, informa André Carvalho, gerente nacional de Key Accounts da Grendene.

Veja a entrevista de Carvalho ao site da Amcham, concedida após ele participar do Seminário Perspectivas 2012, na quinta-feira (16/02):

Amcham: Como a Grendene pretende crescer neste ano?
André Carvalho:
Nossa visão é que a segmentação está muito latente no mundo da moda. Nesse contexto, deixamos a definição por classe social e olhamos muito mais para estilos de vida e situações de uso.

Amcham: Poderia explicar melhor?
André Carvalho:
Temos um projeto novo para falar exatamente sobre estilos de vida. Vimos que o consumidor da classe C, que até então classificávamos por faixa de renda, tem o seu próprio estilo de se vestir, indiferente do quanto ele ganha. Um consumidor desse segmento que se veste de forma casual vai procurar peças dessa linha dentro da sua renda. Não posso simplesmente fazer uma coleção baseada em faixa de preço, mas em estilo de vida. É uma visão que começa a se diferenciar dentro do mundo da moda e calçadista.

Amcham: Por que isto ocorre?
André Carvalho:
A classe C deixou de comprar apenas quando sobra dinheiro. Ela prefere aguardar, economizando para se vestir do jeito que se sente melhor. Fizemos alguns estudos de comportamento e percebemos que dentro do guarda roupa desse público existem várias divisões de peças, conforme a tribo a que pertence. A indústria da moda, onde se inclui a calçadista, tem que estar preparada para atender ao que esse consumidor tem no bolso e ao que ele está disposto a vestir.

Amcham: Qual a estratégia de vendas da Grendene para atingir o público C?
André Carvalho:
Principalmente, ter um mix adequado no portfólio que atenda a essas necessidades. Não adianta eu formar um mix pensando somente em faixa de preço, tenho que pensar também em novos canais - entre eles, vendas online, social commerce e mobile commerce. Estamos muito dispostos a entrar nesses canais.

Amcham: Em sua palestra no seminário, o sr. mencionou a necessidade de se ampliar o relacionamento com os parceiros. Porque isso ficou tão importante?
André Carvalho:
Com o tempo, descobrimos que alguns problemas que teoricamente seriam apenas do nosso cliente acabam tendo impacto sério no desempenho da própria indústria. Uma delas é a questão do furto nas lojas, porque isso gera um estoque virtual para o lojista e impede a reposição de mercadorias. Por outro lado, ficamos mais atentos às oportunidades de negócios. A Grendene também fabrica botas de borracha para o público que trabalha com motos. Mas, quando se vai a um supermercado, vê-se que esses produtos não são trabalhados pelo estabelecimento. Começamos a pensar em como vender botas para os supermercados.

Amcham: Qual foi o resultado dessa iniciativa?
André Carvalho:
Isso foi um case que surgiu. Fizemos um projeto de uma loja dentro da loja, onde trabalhamos com parceiros que fabricam macacão e acessórios para motoboys. O objetivo foi criar uma loja para eles dentro do supermercado, e assim oferecer produtos novos. Ou seja, temos que ter uma visão mais ampla do negócio e não olhar só para o nosso umbigo. Além de trazer um produto que se acredita que vai vender, é preciso oferecer uma solução de como o produto será vendido. É uma questão de gerar demanda para o cliente.

Amcham: O que o cliente tem achado da proximidade de relacionamento?
André Carvalho:
Quando se conquista o cliente, ganha-se confiança para as próximas compras. Entregar mix adequado e produto que realmente vai girar é trazer solução para o parceiro. No mundo da moda, onde o giro é muito rápido e o insucesso de algum produto pode gerar recall negativo lá na frente, formar parcerias é muito importante.

 

registrado em: