Com universidade corporativa, CPFL forma profissionais qualificados no setor elétrico

publicado 28/08/2015 11h00, última modificação 28/08/2015 11h00
São Paulo – Eletricistas de rede e especialistas em assuntos regulatórios estão entre eles
mara-eliane-rabello-pim-5790.html

Consertar um problema na rede elétrica não é trabalho para qualquer eletricista. Entre outras atribuições, o profissional tem que estar preparado para manusear equipamentos em um ambiente de alta voltagem com segurança e precisão. Como não há muitos deles disponíveis no mercado, a CPFL Energia investiu em uma universidade corporativa para formar e reciclar os conhecimentos específicos necessários ao trabalho que precisa desenvolver.

“Considerando que alguns conhecimentos de nosso setor não são facilmente encontrados no mercado, temos que desenvolvê-los internamente”, disse Mara Eliane Rabello Pim, coordenadora de Educação Corporativa da CPFL Energia, no comitê estratégico de Recursos Humanos da Amcham – São Paulo, em 13/8.

Com mais de 9 mil colaboradores atuando nos setores de geração, distribuição, comercialização e serviços de energia, a CPFL precisa de uma grande estrutura interna de formação de profissionais. A gestora disse que a universidade corporativa da CPFL Energia atende a todos os níveis profissionais, desde a formação do eletricista até o executivo. “Nossos programas de educação corporativa estão garantindo a manutenção de algumas habilidades críticas ao negócio”, acrescenta Mara.

Além de programas de aceleração de desenvolvimento em parceria com o Senai e escolas técnicas, para acrescentar competências que faltam ao mercado. “Para analistas, temos trilhas (cursos de longa duração) em temas como assuntos regulatórios e gestão de energia, introduzidos esse ano”, detalha a gestora.

As trilhas de aprendizagem são cursos modulares para capacitar o colaborador nas habilidades que serão exigidas dos profissionais, tanto em competências como processos. Há as Trilhas de Liderança, sobre técnicas de gestão e motivação de equipes, e módulos específicos, como Assuntos Regulatórios e Gestão de Energia, além da Escola de Eletricistas (com duração de três meses).

Desde sua criação em 2008, a universidade corporativa da CPFL vem agregando cada vez mais cursos na grade curricular. Programas de relacionamento com cliente, projetos e obras, e formação de gestores de projetos também serão introduzidos esse ano, de acordo com a gestora.

O resultado é retenção de conhecimento e aumento da qualificação dos profissionais. “Os programas estão garantindo a manutenção de alguns processos e conhecimentos mais críticos e, assim, focar no desenvolvimento das pessoas.”

registrado em: