Conceito “Open Innovation” ganha espaço no mercado brasileiro

por giovanna publicado 11/02/2011 19h10, última modificação 11/02/2011 19h10
Recife – Ideia é aliar diferentes empresas, institutos de pesquisa e universidades para desenvolver novos produtos.
conceito_materia.jpg

A Open Innovation, conceito que propõe aliar diferentes empresas, institutos de pesquisa e universidades para desenvolver novos produtos, ganha espaço no País como forma de avançar em um mercado crescentemente competitivo. A avaliação é de Cristiano Andrade, gerente de Marketing do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (Cesar).

“Com a internet, os modelos de negócios foram reformulados. A criação de novos produtos nesse contexto também vem sendo feita de maneira diferente. Muitas vezes, as companhias não possuem a capacitação técnica para dar origem a novos produtos. Uma saída cada vez mais disseminada no mercado é recorrer a institutos de inovação (como o Cesar), que trabalham em rede com outras instituições para trazer essa capacitação”, afirma Andrade, que participou do evento “Pit-Stop, Pensando Fora da Caixa – Inovação e Criatividade”, realizado pela Amcham-Recife na quinta-feira (10/02).

Ele conta que o processo de Open Innovation é explorado no País há pouco tempo, mas que as empresas, à medida que notam seus resultados, ganham maior confiança e buscam mais sua aplicação.

Andrade conta que, atualmente, as grandes companhias são as que mais se utilizam desse conceito. Entre as pequenas, por uma questão cultural, a penetração ainda é restrita. “Muitas vezes se cria o mito, principalmente entre pequenas, de que inovar é caro”, lamenta.

registrado em: