Consórcio em compras traz vantagens para empresas e fornecedores, diz especialista

por lays_shiromaru — publicado 07/08/2014 15h55, última modificação 07/08/2014 15h55
São Paulo – Diretor da Bunge conta os benefícios de se unir a concorrentes de interesses em comum

A união dos setores de Compras de empresas com interesses em comum tem sido bastante positiva, tanto para as companhias, quanto para os fornecedores. Em palestra ao comitê de Supply Chain da Amcham, em 25/07, o diretor de Compras da Bunge, Paulo Silverio, falou de sua experiência com consórcios.

Ele conta que é comum haver preocupações com conflitos de agenda, princípios éticos e culturas empresariais diferentes, entre outras, mas o consórcio tem muitos fatores positivos. “Aumento do conhecimento dos negociadores, desenvolvimento profissional, engajamento de outras áreas e a oportunidade de compartilhar melhores práticas são outras vantagens na lista de vantagens”, diz.

Silverio relembra, no entanto, que a parceria entre empresas com interesses em comum só funciona se houver senso de coletividade. “Alianças estratégicas funcionam somente se as empresas parceiras estiverem comprometidas e interessadas no sucesso de todas”, ressalta.

Outro fator que contribui para o sucesso do consórcio é o alinhamento entre os integrantes das equipes. “Grupos com profissionais que se interessam em aprender com os outros e ajudam no andamento dos projetos tendem a ser mais bem sucedidos, e devem ser reconhecidos”, explica Silverio.

Vantagens para os fornecedores

De acordo com Silverio, os fornecedores também ganham com a parceria entre as empresas. “Em geral, a receptividade dos fornecedores é boa, pois também dá vantagens operacionais a eles”, afirma.

Entre os benefícios dos fornecedores na negociação com consórcio, ele destaca o volume representativo de compras, a maior abertura dentro das fábricas e o reconhecimento do mercado.

Consórcio em outros setores da empresa

Silverio ressalta também que, além das vantagens financeiras, o consórcio pode contribuir para a criação de um ambiente que incentiva o desenvolvimento de outras sinergias.

A parceria entre empresas com o mesmo interesse pode funcionar em outras áreas, de acordo com ele. “Em Recursos Humanos, por exemplo, é comum que haja seleção conjunta de candidatos para determinados programas de trainee. Para equipes de controle de qualidade, é interessante organizar visitar unificadas para validação de fornecedores”, exemplifica.

registrado em: