Cresce o número de empresas que adota o coaching em gestão de pessoas

publicado 19/08/2016 13h29, última modificação 19/08/2016 13h29
São Paulo - Samsung e Banco Votorantim reconhecem melhoras após adoção de práticas de coaching
leda-turai-petrauskiene-4667.html

Cada vez mais organizações estão adotando práticas de coaching. A avaliação é de Leda Turai Petrauskiene, Presidente do Conselho da International Coach Federation (ICF). Durante o comitê de gestão de pessoas da Amcham - São Paulo, realizado na quinta-feira (18/08), a especialista comentou que cada vez mais empresas estão vendo o coaching como estratégia vencedora na gestão de pessoas. “As companhias estão mudando. A cultura do coaching está se tornando uma parte do desenvolvimento de pessoas. Não é mais visto como algo exclusivo para executivos e gestores, é para todos”, afirmou a especialista.

Melhora na produtividade e engajamento da equipe, fortalecimento das relações de trabalho e lideranças mais efetivas são algumas vantagens de usar práticas de coaching, segundo Turai. Seja com a contratação de coaches externos, internos ou com líderes usando as práticas do coach, Tunai ressalta a importância de se valorizar o treinamento de um mentor, dando feedbacks, criando uma comunidade de aprendizado e supervisionando. "Na superfície, ser um coach parece simples, mas é algo muito profundo, já que mexe com o psicológico das pessoas. Daí a importância de realmente investir no treinamento do profissional", afirmou.

Mesmo reconhecendo o valor das habilidades de coaching nas empresas, dados da Global Coaching Study (2016) mostram que apenas 11% dos líderes e gestores usam a técnica na América Latina. O dado na América do Norte é 33%, enquanto na Europa é 27%. "Mas vejo que há muito potencial de crescimento nessa área para o Brasil", acredita Turai.

Votorantim e Samsung

No Banco Votorantim, o treinamento de coaching foi oferecido a todos Gerentes Executivos, Superintendentes e Diretores que estivessem interessados no programa. “O objetivo do programa foi inspirar a liderança para ajudá-la a atingir objetivos e atrelar isso à questão dos negócios”, compartilhou Ana Paula Tarci, Superintendente de Recursos Humanos da empresa.

Para a especialista, alguns elementos foram chave para o sucesso do programa: o engajamento dos coaches, a valorização da iniciativa e o papel da liderança. Uma dificuldade apontada por ela é a percepção da mudança. "Alguns resultados não são rapidamente percebidos. A estratégia deve ser algo percebido como de médio e longo prazo", avalia. A técnica foi usada como instrumento de gestão juntamente com performance e treinamento. E trouxe alguns resultados imediatos: maior engajamento das equipes, melhor desempenho, redução do turnover foram alguns pontos. “A avaliação do programa é muito positiva”, garante.

Na Samsung, era necessário fortalecer a confiança entre empresa e funcionário, segundo Silvio Paciello, Diretor de Recursos Humanos da empresa. Com um turnover alto, pouca transparência nos processos e um modelo de negócios mais hierarquizado, a reputação externa da empresa não era boa.

Para isso, em 2015, a empresa trouxe exercícios de coaching para os funcionários. A ideia era fazer com que os funcionários, junto com as lideranças, trocassem experiências e compartilhassem seus medos, frustrações e sonhos. "Foi um sucesso e vamos repetir, dessa vez com uma consultoria, de forma mais estruturada e com metodologias claras", afirmou.

 

 

 

 

registrado em: